Valério diz que morte de ex-prefeito tem relação com propina do PT

Perueiros seriam ligados a facção criminosa que comanda os presídios de São Paulo e que isso seria uma das causas do assassinato do Celso Daniel.

Valério está preso em regime semiaberto

Valério está preso em regime semiaberto

Reprodução / Record TV Minas

O ex-empresário mineiro Marcos Valério, condenado nos processos do mensalão do PT e do PSDB, revelou em depoimento de delação premiada para Polícia Federal em Belo Horizonte que o PT de Santo André recebia propina de perueiros da cidade.

Ainda segundo Valério, os perueiros seriam ligados a facção criminosa que comanda os presídios de São Paulo e que isso seria uma das causas do assassinato do ex-prefeito Celso Daniel. A informação foi obtida pelo jornalismo da Record TV Minas com fontes da PF.

Nesta sexta-feira (25), uma revista revelou que teria obtido detalhes de um depoimento Valério ao Ministério Público informando que Lula teria sido o mandante do assassinato de Daniel. 

Supremo 

A delação de Valério foi parcialmente homologada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, em outubro do ano passado.

Em fevereiro deste ano, Valério prestou novo depoimento na PF em BH e confirmou as acusações feitas em seus 60 anexos de delação premiada. Antes da confirmação, havia uma possibilidade de Valério desistir da delação.

O ex-empresário queria obter vantagens em processos que já estão tramitando na Justiça. No entanto, ao homologar parcialmente a delação, o ministro Celso de Mello excluiu benefícios nos processos em que Valério já é réu, mas que ainda não foi julgado de forma definitiva.

Além da delação, ele se comprometeu a colaborar em outros inquéritos que estão em curso, entre eles, de supostos beneficiários do esquema do mensalão do PT que acabaram ficando de fora da ação penal 470.  Valério delatou diversos políticos com e sem foro privilegiado, em especial, do PT e PSDB de Minas e São Paulo.

Desde o mês passado, Valério está cumprindo a pena de 37 anos de prisão em regime semiaberto em uma penitenciária em Ribeirão das Neves, em na região Metropolitana de BH. Ele, no entanto, trabalha dentro do regime prisional em uma empresa do segmento de alimentação.

PT responde 

O Diretório Nacional doPartido dos Trabalhadores informou ao R7 que a resposta ao depoimento de Marcos Valério está publicada no site oficial do partido, por meio de nota. 

Na nota, o PT afirma que "as mentiras reproduzidas como novidade"  que teriam sido "vendidas" por "Marcos Valério à Procuradoria Geral da República, em 2012, e foram repetidas à Lava Jato, em 2016, numa desesperada tentativa de envolver o ex-presidente Lula em mais uma falsa acusação." 

O partido ainda informa que "em nenhum dos dois casos a impostura parou de pé, por ser história falsa, sem prova nem testemunho, apesar da obsessão macabra dos que tentam até hoje tirar proveito político do assassinato do prefeito Celso Daniel, em janeiro de 2002."