Vereadora de BH é detida após confusão durante manifestação

Bella Gonçalves (PSOL) acompanhava ato de moradores da Vila Beija-Flores, que protestavam contra uma ordem de despejo, que pode afetar 450 famílias

Vereadora participava de uma manifestação em BH

Vereadora participava de uma manifestação em BH

Karoline Barreto/CMBH

A vereadora de Belo Horizonte Bella Gonçalves (PSOL) foi detida após participar de uma manifestação no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta sexta-feira (16).

A legisladora acompanhava o ato realizado por moradores da Vila Beija Flores, que protestavam contra uma ordem de despejo que, segundo eles, pode afetar 450 famílias.

O major Cláudio Henrique, da PM (Polícia Militar) afirma que a parlamentar foi detida enquanto tentava impedir a prisão de três manifestantes que teria depredado um carro que tentou furar um bloqueio feito na rua Barbacena. Segundo o militar, alguns participantes do ato amassaram o veículo e deram socos na passageira que estava com o vidro aberto.

— A vereadora se apresentou e se opôs à prisão, falando que os três identificados não seriam presos. O nosso policial explicou para ele que eles haviam cometido um crime, mas insistiu que eles não seriam levados. Neste momento, deram voz de prisão para ela, por ter impedido a execução da prisão. Falamos com ela discretamente, ela aceitou, entrou na viatura e não foi algemada.

Bella Gonçalves, entretanto, alega que não foi detida no local. A vereadora disse à reportagem, na manhã deste sábado (17), que foi até a delegacia acompanhando uma manifestante que teve a prisão decretada e só foi detida após chegar à unidade policial. A parlamentar afirma que a mulher estava transtornada após os militares usarem spray de pimenta para dispersar a manifestação.

— Os policiais começaram a qualificar as pessoas e tinha uma senhora muito transtornada, que não conseguia se identificar. Eu falei com eles que iria ajudar, pegando os documentos dela. Mesmo assim, eles falaram que iriam prendê-la por não apresentar os documentos. Então eu disse que iria acompanhá-la no carro da polícia, como presidente da Comissão de Direitos Humanos de Belo Horizonte, para ver para onde iriam levá-la.

A vereadora ainda relatou à reportagem que chegando à delegacia, os manifestantes tentaram registrar um boletim de ocorrência colocando-os como vítima da motorista que furou o bloqueio. Bella conta que ficou quase 12 horas na delegacia.

— Quando íamos fazer o boletim para colocar os manifestantes como vítimas, ele me avisaram que eu estava detida por estar atrapalhando o trabalho da polícia.

De acordo com PM, todos os envolvidos foram liberados após prestarem esclarecimentos. A reportagem procurou a Polícia Civil para saber sobre o fechamento da ocorrência, mas ainda não obteve retorno.