Coronavírus

Minas Gerais Zema deve anunciar 'lockdown' em regiões de Minas nesta quarta (3)

Zema deve anunciar 'lockdown' em regiões de Minas nesta quarta (3)

Governo de Minas prepara coletiva de imprensa para anunciar medidas de restrição em regiões afetadas pela covid-19

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7, com Enzo Menezes, da RecordTV Minas

Governador Romeu Zema deve anunciar medidas restritivas em regiões de Minas

Governador Romeu Zema deve anunciar medidas restritivas em regiões de Minas

Gil Leonardi/Imprensa MG

O Governo de Minas Gerais deve anunciar medidas de restrição mais severas em algumas regiões do Estado nesta quarta-feira (3). Uma entrevista coletiva está sendo organizada para a tarde de hoje na Cidade Administrativa, sede do governo estadual.

A expectativa é de que regiões que vivem explosão de casos de covid-19 e estão com alta ocupação de leitos de UTI entrem em "lockdown". Ainda não há informações de quais seriam essas regiões ou as medidas que seriam anunciadas em cada uma delas. 

No entanto, nas últimas semanas, o Governo de Minas, juntamente com prefeituras do interior anunciaram medidas mais severas. Em Uberlândia, a 540 km de Belo Horizonte, foi decretado um toque de recolher entre 20h e 5h. Apenas as farmácias estão autorizadas a funcionar nesse horário.  

A cidade vive alta de casos e está praticamente sem leitos disponíveis para atender pacientes contaminados com o coronavírus. Um hospital de campanha foi montado dentro do Hospital Municipal para tentar dar conta da demanda.

Outra cidade que decidiu endurecer as medidas de restrição contra a covid-19 foi Coromandel, a 500 km de Belo Horizonte. Com os leitos totalmente ocupados, o município precisou transferir pacientes para cidades como Belo Horizonte e Divinópolis e decretou toque de recolher para evitar a circulação de moradores nas ruas durante a noite.

Além disso, uma equipe de profissionais de saúde da Polícia Militar foi enviada para o município, que já não conseguia mais contratar médicos e enfermeiros para atuarem na linha de frente do combate à doença. 

Últimas