Ação até quinta corta cabelo para pessoas em situação de rua em Olinda

Iniciativa conta com a colaboração voluntária de barbeiros, cabeleireiros e profissionais

Iniciativa conta com a colaboração voluntária de barbeiros, cabeleireiros e profissionais

Iniciativa conta com a colaboração voluntária de barbeiros, cabeleireiros e profissionais

Folha de Pernambuco

Em alusão ao Novembro Azul, mês de alerta para a saúde do homem, pessoas que vivem em situação de rua em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, poderão renovar a beleza durante a segunda edição do projeto “Barba, Cabelo e Bigode”, do programa Consultório na Rua, realizado pela prefeitura. A ação, que começou nessa segunda-feira (11) e segue até quinta-feira (14), passou pela Praça do Carmo nesta terça-feira (12).

A iniciativa conta com a colaboração voluntária de barbeiros e cabeleireiros, além da assistência de dois educadores, uma assistente social, uma psicóloga e uma enfermeira da rede de saúde de Olinda. Os profissionais levam orientação e prevenção sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) para as pessoas em situação de rua.

Leia também:
Feira reúne exposição e oficinas de plantas em Olinda
Mais de 30 bairros do Recife e Olinda ficam sem água nesta terça; confira lista


“Estaremos na quarta-feira (13) nos bairros de Peixinhos e Bultrins. Já na quinta-feira (14), levaremos o projeto para Rio Doce, com o objetivo de dar um pouco de dignidade a essas pessoas que sofrem tanto, para que elas se sintam acolhidas”, contou o coordenador do programa Consultório na Rua, Mario Costa.

Ainda de acordo com ele, foram realizados no primeiro semestre deste ano quase dois mil atendimentos para as pessoas em situação de rua em Olinda. “Levamos assistência através da prevenção. Distribuímos preservativo, realizamos testes rápidos e encaminhamos essas pessoas para as unidades de saúde, onde fazem o tratamento adequado”, acrescentou Mario.

“Com esse corte, vou ficar bonito para arrumar uma namorada bonita. Quero ficar careca, sem bigode, sem nada”, brincou o morador de rua José Carlos da Silva, de 66 anos, que aproveitou para renovar o corte dos fios grisalhos e as esperanças diante da falta de visibilidade que sofre nas ruas.

O também morador de rua Luiz Carlo Correia, de 34 anos, contou que vive há mais de dez anos nessa condição. Ele, que dorme no entorno da Praça do Carmo, aproveitou o projeto para cortar o cabelo e ganhar ainda mais autoestima. “É tudo de bom. A gente que vive em situação de rua precisa muito de ações como essa. Vou ficar mais bonito. Somos muitos discriminados, mas nem sempre escolhemos viver na rua. É bom saber que existem pessoas que olham por nós”, disse.

O barbeiro Júlio César, da barbearia Naipe Barber Shop, que presta serviço voluntário aos moradores de rua em parceria com a Prefeitura de Olinda, relatou sobre a experiência de participar do projeto. “É gratificante fazer o bem a outras pessoas e, principalmente, para quem não possui condições de ir a um salão cortar o cabelo ou fazer a barba”, disse.

De acordo com o último levantamento realizado pela Secretaria de Saúde de Olinda, o município possui cerca de 400 moradores de rua. Desse total, aproximadamente 250 são atendidos durante as ações de saúde e prevenção realizadas pela prefeitura do município. A maioria são homens, negros e possuem dependência alcoólica.