Após primeiro revés, Pia alerta para condicionamento

Técnica da seleção feminina de futebol disse que é preciso trabalhar esse aspecto a tempo para a Olimpíada

Técnica da seleção feminina de futebol disse que é preciso trabalhar esse aspecto a tempo para a Olimpíada

Técnica da seleção feminina de futebol disse que é preciso trabalhar esse aspecto a tempo para a Olimpíada

Folha de Pernambuco

A derrota por 1x0 para a França, a primeira no comando da seleção feminina do Brasil, deixou Pia Sundhage preocupada com a condição física das jogadoras. A técnica sueca avalia que o rendimento da equipe caiu no desenrolar da partida, a segunda pelo torneio amistoso disputado na cidade francesa de Valenciennes.

"Acho que tivemos uma resposta importante neste jogo. Não estamos bem fisicamente o suficiente. Comparando o primeiro com o segundo tempo, o time delas foi ficando cada vez forte. Na Olimpíada, teremos só dois dias para nos recuperar entre um jogo e outro. Então, precisaremos avançar na questão física", alertou a técnica em entrevista coletiva.

Pia iniciou a partida do último sábado (7) com sete novidades em relação ao empate sem gols com a Holanda na quarta-feira (4): a goleira Bárbara, as laterais Letícia Santos e Tamires, a zagueira Tayla, a meia Andressinha e as atacantes Cristiane e Bia Zaneratto. Maior artilheira da seleção, Marta começou no banco o jogo com as francesas, assim como Debinha, goleadora da "era Pia". As atacantes atuam nos Estados Unidos, cuja temporada ainda não começou, e estão sem ritmo de jogo. Elas entraram apenas na etapa final.

Leia também:
Letícia Santos tem lesão ligamentar no joelho direito

Superior na maior parte da partida, a França chegou à vitória aos nove minutos do segundo tempo. Após jogada da lateral Amel Majri pela esquerda, a atacante Valérie Gauvin escorou de cabeça em cima de Bárbara, mas a goleira brasileira aceitou. O time de Pia teve as melhores chances com Duda, que entrou na etapa final no lugar da meia Formiga. Na principal, aos 26 minutos, a atacante bateu por cobertura e a bola saiu rente ao travessão.

"Se você quer vencer competições, tem de saber atacar e defender no um contra um, mas, principalmente, em equipe. Precisamos criar mais chances como um time. Temos tempo para correr atrás", destacou a treinadora, que contabiliza seis vitórias, três empates e, agora, uma derrota no comando brasileiro.

A seleção feminina encerra a participação no torneio francês nesta terça (10), às 15h (horário de Brasília), diante do Canadá. Já campeãs, as anfitriãs somam seis pontos, contra dois das holandesas e um de brasileiras e canadenses.