Condomínio em Aldeia tem campanha de vacinação contra febre amarela

A vacinação é preventiva, sendo antecipada para os moradores do Condomínio Alvorada, em Aldeia. Na região foram encontrados 14 saguis mortos nesta semana

A vacinação é preventiva, sendo antecipada para os moradores do Condomínio Alvorada, em Aldeia. Na região foram encontrados 14 saguis mortos nesta semana

A vacinação é preventiva, sendo antecipada para os moradores do Condomínio Alvorada, em Aldeia. Na região foram encontrados 14 saguis mortos nesta semana

Folha de Pernambuco

Na manhã deste sábado, moradores e funcionários do Condomínio Alvora na Estrada de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife, receberam a vacinação de prevenção contra a febre amarela. No local, foram encontrados 14 saguis mortos nesta semana, com suspeita do vírus. A vacinação, de caráter preventivo foi antecipada para os moradores, mas a partir desta segunda-feira (13), a imunização será direcionada aos demais moradores de Aldeia, através das três unidades de saúde da família do bairro.

Neste momento da campanha, a Superintendente de Imunização do Estado, Ana Catarina de Melo, destaca que serão avaliados os quadros de vacina dos moradores e trabalhadores da região onde foram encontrados os animais mortos.

Leia também:
Saúde amplia público para vacinas contra febre amarela e gripe
Pernambuco inclui vacina contra febre amarela no calendário de imunização


Os únicos vetores de transmissão da febre amarela são os mosquitos silvestres Haemagogus e o Sabethes, e os macacos apenas hospedam o vírus. Os animais são picados pelos mosquitos, e quando infectados, os saguis podem passar o vírus para outro vetor, vindo a transmitir para o homem.

A superintendente destaca o importante papel dos saguis para identificação da doença, e tranquiliza, afirmando que o vírus não está confirmado no Estado. “O macaco é uma mera vítima, mas ele é importantíssimo porque ele sinaliza, ainda não temos confirmação da circulação do vírus da febre amarela aqui no estado”, disse Ana Catarina, Superintendente de Imunização do Estado.

Entre as recomendações que foram passadas aos moradores do condomínio acerca dos animais, a gerente do Programa de Vigilância das Arboviroses, da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Claudenice Pontes, aconselha não alimentar e não causar algum tipo de maltrato aos animais. “Esses mosquitos vivem na parte interna da mata, então essas residências que ficam mais próximas à mata, nós já fizemos uma orientação de como se prevenir contra esses mosquitos silvestres”, disse a gerente.