Folha de Pernambuco Coronavírus: de feirante a cientista desenvolvedor de vacina, conheça a história do baiano Gustavo Cabral

Coronavírus: de feirante a cientista desenvolvedor de vacina, conheça a história do baiano Gustavo Cabral

Natural de Tucano, na Bahia, ele coordena uma equipe de cientistas do Incor, em SP

Natural de Tucano, na Bahia, ele coordena uma equipe de cientistas do Incor, em SP

Natural de Tucano, na Bahia, ele coordena uma equipe de cientistas do Incor, em SP

Folha de Pernambuco

A educação possibilita transformações na vida das pessoas. A prova vem do interior da Bahia, no município de Tucano, cidade com menos de três mil habitantes. De lá para a linha de frente da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Integrando a equipe de cientistas do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, que busca desenvolver a vacina brasileira contra o coronavírus, o imunologista Gustavo Cabral de Miranda, 38 anos, era feirante e viu a vida melhorar quando se dedicou aos estudos.

O cientista Gustavo carrega a bandeira da educação e da ciência como valores que o motivaram a mudar o direcionamento da sua vida, embora isso não tenha começado muito cedo em sua trajetória.

“Eu trabalhava na feira, vendia geladinho, frutas, como coco e manga. Aos 15 anos, resolvi sair de casa e fui morar em Euclides da Cunha, cidade próxima a Tucano. Lá eu comecei a trabalhar no açougue, fiquei quatro anos trabalhando nisso e não conseguia continuar os estudos. Parei três anos de estudar, começava e não continuava”, recorda.

Porém, Gustavo passou a reparar algo em comum nas pessoas que ele considerava ter algum sucesso na vida: os estudos. A partir daí, vendeu o que tinha e passou a se dedicar somente a isso. Com o dinheiro, pagou os anos finais no ensino médio e um pré-vestibular.

Jornada acadêmica
Primeiro de quatro filhos a ingressar no ensino superior, Gustavo escolheu estudar Ciências Biológicas, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Campus Senhor do Bonfim. Graças ao incentivo de uma bolsa de pesquisa, após a graduação, veio o mestrado em Imunologia em Salvador, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). E não parou por aí.

Em São Paulo, fez doutorado com o mesmo tema na Universidade de São Paulo (Usp). No exterior, seguiu com os estudos na Universidade de Oxford, na Inglaterra, além de também estudar em Portugal e na Suíça.

Em seu currículo, Cabral tem, entre inúmeras realizações, o desenvolvimento de uma vacina, ainda em modelo animal, contra o Zika vírus.

Valorização da educação e ciência
Além de seguir na luta contra o coronavírus, em seus posicionamentos, Gustavo sempre defende o incentivo à educação e ciência como possibilidade para que inúmeros outros jovens possam mudar a sua realidade, trazendo retorno para a sociedade.

“O caminho para as uma das maiores revoluções na vida das pessoas que não têm condições de vida muito boa é invadir os espaços universitários. Isso promove uma transformação enorme. Tudo muda quando olhamos para os centros universitários e pensamos “aqui também é o meu lugar”, reflete o cientista.

Últimas