Érica Sena e Caio Bonfim vencem Copa Brasil Caixa de Marcha Atlética

Dupla foi destaque na competição realizada neste último domingo (16), na Universidade Federal de Pernambuco

Dupla foi destaque na competição realizada neste último domingo (16), na Universidade Federal de Pernambuco

Dupla foi destaque na competição realizada neste último domingo (16), na Universidade Federal de Pernambuco

Folha de Pernambuco

A pernambucana Érica Sena (Pinheiros) e o brasiliense Caio Bonfim (CASO-DF), as grandes estrelas da modalidade, venceram no último domingo (16) as provas dos 20 km da 31ª Copa Brasil Caixa de Marcha Atlética, realizada num circuito de 1 km, na Avenida dos Reitores, em frente à Concha Acústica da Universidade Federal de Pernambuco, no Recife.

Érica, que há nove anos não participava da competição, voltou em grande estilo. Venceu com o tempo de 1h37min06seg e teve apoio de muitos familiares. "Estava numa grande expectativa. É extraordinário marchar em casa e eu não tinha tido essa experiência. Foi bom competir com o apoio de meus familiares, amigos e ex-companheiros de marcha no Recife”, disse Érica.

A marchadora, quarta colocada no Mundial de Doha, no Catar, viajou para Cuenca, no Equador, onde mora com o marido e treinador Andrés Chocho. "Vou ver como volto aos treinos e decidir se vou ao Sul-Americano do Peru. Temos este ano, além dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, o Mundial de Minsk, na Bielorrússia. São os dois grandes objetivos da temporada", completou.

Já Caio Bonfim conquistou o título da competição pela nona vez consecutiva, com 1h25min46seg. O marchador teve o apoio do pai João Sena e da mãe Gianetti Bonfim, além da mulher Juliana, do filho Miguel e dos companheiros de equipe. "Marchar no Brasil no verão e ainda mais no litoral é muito difícil. Quando o sol sai, esquenta e quando encobre abafa, mas gostei de meu resultado aqui", afirmou o atleta de 28 anos, depois de comemorar a vitória com a mãe e o filho.

Qualificado, assim como Erica para o Mundial de Minsk e para os Jogos de Tóquio-2020, ele não sabe qual será sua próxima competição. Caio garantiu vaga para o Sul-Americano de Lima, no início de março, mas gostaria de participar do Campeonato Asiático, dia 15 de março, no Japão. "Vamos ver se aceitam a minha inscrição no Asiático e, só depois, vamos decidir", frisou o ganhador da medalha de bronze no Mundial de Londres-2017.

Nas provas dos 35 km, disputadas no lugar dos 50 km, uma surpresa no masculino e uma favorita ratificou a sua condição no feminino. Max Batista dos Santos (CASO-DF) venceu a prova, com 2h54min45seg. Foi a primeira vez que disputou uma competição acima dos 20 km. "Em conversa com os meus treinadores, decidi depois do Troféu Brasil do ano passado arriscar em provas mais longas. Agora vejo que é possível. Vou treinar ainda mais para o Sul-Americano", disse Max, após ter chorado abraçado a Caio Bonfim, seu ídolo e companheiro de treinamento em Sobradinho (DF).

No feminino, Viviane Santana Lyra (AEFV-RJ) confirmou o favoritismo ao ganhar os 35 km com 3h12min13seg. Qualificada para os 20 km e os 50 km do Mundial da Bielorrússia, ela disputará os 50 km do Sul-Americano de Lima e já decidiu por essa prova para o Mundial.

Pelos critérios de convocação da Confederação Brasileira de Atletismo, os três primeiros colocados nas provas masculinas e femininas na Copa Brasil, nos 20 km e 35 km adulto, nos 10 km Sub-20, nos 10 km Sub-18 masculino e nos 5 km Sub-18 feminino serão chamados para o Sul-Americano de Lima.

Leia também:
Aflitos é arma do Náutico para eliminar Botafogo na Copa do Brasil
Náutico divulga preço dos ingressos para jogo contra Botafogo