FPF pretende retomar Estadual dia 28 de junho

De acordo com o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, ideia é que campeonato seja finalizado em julho

De acordo com o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, ideia é que campeonato seja finalizado em julho

De acordo com o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, ideia é que campeonato seja finalizado em julho

Folha de Pernambuco

Aos poucos, o cenário do futebol pernambucano vai ganhando novos ares depois de quase três meses de paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus. O Governo do Estado autorizou na última segunda (1º) a retomada dos treinos presenciais a partir do dia 15 de junho. Com a liberação, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, indicou qual o "plano A" para o retorno do Campeonato Pernambucano 2020: dia 28 de junho, no último domingo do mês. A meta é encerrar a competição no mês seguinte, em julho.

"Acredito que a decisão do Governo foi a melhor possível. Nossa previsão inicial é fazer a última rodada da primeira fase no dia 28 de junho. Depois, nós vamos completar as demais partidas (mata-mata, com uma data para as quartas de final, uma para as semifinais e duas para as finais). Se não for possível no final do mês, nós vamos começar no primeiro fim de semana de julho, concluindo a campeonato nele", afirmou o dirigente.

Os clubes ainda estão definindo qual será o protocolo na retomada das atividades. "Temos um esboço bem adiantado, mas precisamos ver algumas questões, tanto dos equipamentos como dos testes. Acredito que até quinta vamos fechar essa questão", afirmou o vice-presidente médico do Náutico, Múcio Vaz. No mercado, há testes de Covid-19 que variam de R$ 250 a R$ 350, identificando se a pessoa está com contaminada ou se ela desenvolveu anticorpos contra a doença.

Vamos nos adequar ao melhor protocolo e implementá-lo dentro do dia-a-dia do clube. A estrutura está toda pronta, com os campos do Centro de Treinamentos numa condição muito boa e o hotel todo vistoriado”, completou o vice-presidente alvirrubro, Diógenes Braga.

Leia também:
Governo autoriza retorno aos treinos presenciais de futebol no dia 15 de junho
Reabertura do comércio revela cisão entre Prefeitura de Petrolina e Governo
Empresários driblam proibição e criam futebol sem contato físico no PR; veja vídeo


O Náutico ainda não definiu a quantidade de profissionais que estará no Centro de Treinamento Wilson Campos assim que os trabalhos presenciais forem reiniciados. Cenário parecido com os de Santa Cruz e Sport. Tendo em média mais de 30 atletas profissionais no elenco, o custo dos clubes somente com esse grupo poderia ultrapassar os R$ 8 mil - sem considerar na equação as testagem da comissão técnica, departamento médico e outros funcionários, o que pode elevar a quantia para além de R$ 30 mil.

A Folha de Pernambuco ouviu preparadores físicos para entender como será feito o processo de retorno aos treinos. "A volta vai ser de forma muito particular. Vai depender não apenas da condição biológica de cada jogador, como também da física e psicológica. Nós nunca ficamos tanto tempo assim se atividades. É um ano atípico. O ideal seria pelo menos três semanas de preparação até retornar aos jogos, porém nós não sabemos como vai ficar a situação das competições. Quando voltarmos, a primeira coisa a fazer serão as testagens e após isso dividir os atletas em grupos. Quem vai determinar esses grupos, inclusive, serão as avaliações médicas, sobre quem contraiu ou não a Covid-19, por exemplo. Cada atleta virá com seu material de casa, eles não vão nem tomar banho no clube", afirmou Edvaldo Tacão, preparador do Sport.

"Eu acho que quatro semanas (de treinos) seriam ideais para o retorno. Já estamos organizando a volta com a ideia de trabalhar em grupos, com todos os protocolos necessários, claro. O que não queremos é começar a treinar sem saber oficialmente quando serão os jogos. Isso vai ser ruim até para o lado psicológico do atleta, que já está há mais de dois meses parado", explicou o preparador do Santa, Carlos Gamarra.