Inovação tecnológica norteia encontro da segunda edição do InovaFundaj

Em busca de refletir os aspectos positivos sobre inovação e tecnologia, o português e presidente do Fundo Google de Inovação, João Palmeira, trouxe a palestra “Inovações Tecnológicas no Mundo Sem Fronteiras: Perspectivas, Diálogos e Contemporaneidade”

 Em busca de refletir os aspectos positivos sobre inovação e tecnologia, o português e presidente do Fundo Google de Inovação, João Palmeira, trouxe a palestra “Inovações Tecnológicas no Mundo Sem Fronteiras: Perspectivas, Diálogos e Contemporaneidade”

Em busca de refletir os aspectos positivos sobre inovação e tecnologia, o português e presidente do Fundo Google de Inovação, João Palmeira, trouxe a palestra “Inovações Tecnológicas no Mundo Sem Fronteiras: Perspectivas, Diálogos e Contemporaneidade”

Folha de Pernambuco

O caminho da economia global é a inovação tecnológica. De acordo com Fórum Econômico Mundial (FEM), mais da metade da força de trabalho até 2025 será automatizada. Em busca de refletir os aspectos positivos sobre inovação e tecnologia, o português e presidente do Fundo Google de Inovação, João Palmeira, trouxe a palestra “Inovações Tecnológicas no Mundo Sem Fronteiras: Perspectivas, Diálogos e Contemporaneidade” à Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), na noite desta quinta-feira (17), no bairro do Derby, área central do Recife.

O evento, que ocorreu das 19h às 21h, faz parte do ciclo de palestras do InovaFundaj, programa de estímulo à inovação na administração pública da instituição.

Leia também:
InovaFundaj chega à segunda edição com inovações tecnológicas em pauta

Durante o evento, o palestrante explanou como a administração pública pode lidar com os avanços da internet. Como não há como fugir da tecnologia e as legislações dos países foram feitas antes da Internet, o melhor caminho para ele é não ter um pensamento “analógico”. “O que é eu falo em pensar com a cabeça analógica é pensar em um mundo que veio antes da Internet. Eu faço uma pergunta: ‘quem manda na Internet?’ Se não tem dono, ainda não temos uma regulação mundial para o assunto. O que devemos discutir é o infinito de possibilidades e caminhos para legislar e regular a questão”, explicou João Palmeiro.

Na ocasião, o presidente do Fundo Google de Inovação apontou como a Europa, a exemplo de Portugal, ainda não discute tecnologias futuras. “Você não tem uma visão comum na Europa sobre como vai se utilizar o 5G. Existe umas diretrizes vagas, mas citando Portugal, que é o meu país, não fazemos a mais pequena ideia. Só sabemos quem em janeiro de 2020 vamos ter uma alteração de frequência”, frisou o palestrante.