IZA vai fazer o Recife tremer

Atração principal da segunda-feira (24) do Camarote Parador, a cantora promete fazer o público dançar neste Carnaval

Atração principal da segunda-feira (24) do Camarote Parador, a cantora promete fazer o público dançar neste Carnaval

Atração principal da segunda-feira (24) do Camarote Parador, a cantora promete fazer o público dançar neste Carnaval

Folha de Pernambuco

Depois de um tempo longe do Recife, IZA está de volta para o Carnaval da Cidade. A artista é atração do Camarote Parador, no Bairro do Recife, na segunda-feira (24), ao lado de Alinne Rosa e Duda Beat. Em entrevista à Folha de Pernambuco, a cantora, de 29 anos, falou sobre as expectativas para o retorno à Capital pernambucana, curiosidades da carreira e novidades para 2020.

Como estão as expectativas para participar de uma festividade tão importante? Como será o repertório do show?
Estive em Recife no final de 2017, com um show menor e sem ter lançado meu primeiro álbum ainda. Estou feliz demais em voltar. Apesar do show ter sido fechado, menor, eu senti um carinho muito grande dos fãs e por isso estou ansiosa para voltar. O show é da turnê Dona de Mim, com todos os singles que eu já lancei também como “Brisa”, “Evapora”.

Qual é sua aposta para o hit do Carnaval?
Meu e de outros artistas? rsrsrsr. Resposta difícil, porque é a galera na rua que escolhe, não tem jeito.

Sua agenda está cheia no Carnaval. Natal, Recife, Rio de Janeiro e Bahia. Qual é sua relação com o Carnaval?
Eu adoro o Carnaval, sempre gostei de bloquinhos, de desfiles, de curtir e aproveitar com meus amigos. Esse ano a agenda está cheia, serei rainha de bateria, volto a Natal onde morei, estarei em Recife, um dos carnavais mais legais do Brasil. É tudo muito emocionante.

O que a Iza de 10 anos atrás falaria para IZA de 2020?
A IZA de dez anos atrás nem imaginava onde a IZA de 2020 estaria. Sei que estou num lugar muito feliz e extremamente grata por tudo o que estou vivendo.

É cada vez maior a inserção de cantoras brasileiras fora do País. No ano passado, você realizou um feat com Ciara e Major Lazer. Atingir o mercado internacional é o próximo passo na sua carreira?
Não encaro isso como um passo, um objetivo. Não é uma carreira internacional, foi só uma oportunidade maravilhosa que surgiu pra mim. Claro que isso pode me trazer alguma coisa, em termos internacionais, mas isso para mim foi muito mais um presente da música do que um investimento.

"Dona de Mim" tem um valor forte para o público, principalmente o feminino. Como foi o processo de criação?
Eu trabalhei quase 1 ano e meio nesse álbum. Ele é o retrato de muito trabalho, dedicação, pesquisa e entrega. Quando criamos esse disco eu quis colocar tudo o que eu mais gosto de cantar. A ideia era criar um trabalho novo. Ver as pessoas receberem esse disco tão bem, faz passar um filme na cabeça e mostra para todas as pessoas que estão lá no Youtube, tentando uma carreira autoral, que é possível.

Em tempos de pauta sobre o empoderamento feminino, você considera a sua arte a favor da causa?
Eu sempre digo que lembro a menina que eu fui, quando era mais nova, e sei como é importante me ver nos lugares e me sentir representada. Me sinto lisonjeada demais em estar nessa posição hoje, de poder inspirar outras meninas. Acho que a gente só tem noção do papel que exercemos na vida das pessoas quando elas nos retornam as vivências delas com a nossa música. A luta feminista é muito importante. Acho que se tem conquistado muito em prol da mulher, mas ainda falta muito a se conquistar. Então, o que eu quero, cada vez mais, é transmitir essa mensagem através da minha arte e do meu trabalho.

O que você pode nos adiantar sobre as novidades para 2020?
Será maravilhoso, tenho certeza. Vamos lançar novos singles, algumas parcerias, vem muita coisa boa por aí.