Medidas de isolamento adotadas em Pernambuco recebem apoio de chefes dos poderes

Alepe, TJPE, TCE e MPPE se manifestaram à favor das novas ações de combate ao novo coronavírus no Estado

Alepe, TJPE, TCE e MPPE se manifestaram à favor das novas ações de combate ao novo coronavírus no Estado

Alepe, TJPE, TCE e MPPE se manifestaram à favor das novas ações de combate ao novo coronavírus no Estado

Folha de Pernambuco

O presidente da Assembleia Legislativa (Alepe), deputado Eriberto Medeiros; o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Fernando Cerqueira; o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Dirceu Rodolfo; e o procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Francisco Dirceu Barros avalizaram o documento que restringe ainda mais a quarentena em Pernambuco. O grupo se reuniu, por videoconferência, com o governador Paulo Câmara nesta segunda-feira (11) para debater a necessidade do decreto que estabelece uma quarentena mais rigorosa entre 16 e 31 de maio.

A medida foi tomada com o objetivo de reduzir os índices de transmissão da Covid-19 no Estado, que alcançou o número de 1.087 mortes pela doença. Todos os líderes foram unânimes no apoio às medidas que serão adotadas a partir desta quarta-feira (12) em caráter educativo e, a partir do sábado (16), em caráter definitivo.

Leia também: 
Isolamento reduziu contágio em Pernambuco, mas índice ainda não é suficiente
Rodízio de carros no Recife não aplicará multas a condutores infratores

Eriberto Medeiros, presidente da Alepe, salientou que o parlamento estadual está disposto a colaborar com todas as medidas de combate ao novo coronavírus. “Estamos trabalhando para dar respostas imediatas. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para defender o bem estar dos pernambucanos. Nesse momento, é preciso algumas medidas educativas e medidas mais restritivas”, salientou.

Francisco Dirceu Barros, chefe do MPPE, citou os últimos dados colhidos pelo Ministério Público, demonstrando uma queda no percentual de isolamento social de 74% para 42,97%. O que significa que 42,97% da sociedade estão realmente colaborando, mas 53,03% estão contribuindo para a disseminação do vírus em Pernambuco. “Isso pode simplesmente causar uma tragédia sem precedentes, que é o colapso total do sistema de saúde e, infelizmente, um significativo número de óbitos”, advertiu.

Para o presidente do TCE, Dirceu Rodolfo, é imprescindível que sejam seguidas à risca as novas determinações. “Disso dependerá a capacidade de resposta às dramáticas demandas na saúde pública. Sair de casa e socializar, nesses próximos dias, significa a mesma coisa que tentar respirar embaixo de uma piscina completa de água: a sociedade acabará se afogando”, afirmou Rodolfo.

Ao manifestar seu apoio ao decreto estadual, o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, desembargador Fernando Cerqueira, argumentou que medidas mais severas eram, de fato, necessárias. “Essas medidas vão proteger a população e evitar que o quadro se agrave ainda mais, provocando o colapso do sistema de saúde”, concluiu.