Mergulhadores recolhem 125 kg de resíduos com óleo em Pernambuco

Fragmentos continuam sendo encontrados no litoral do Estado. Só nesta terça-feira (12), foram retirados 100 kg do estuário do rio Persinunga, na divisa com Alagoas.

Fragmentos continuam sendo encontrados no litoral do Estado. Só nesta terça-feira (12), foram retirados 100 kg do estuário do rio Persinunga, na divisa com Alagoas.

Fragmentos continuam sendo encontrados no litoral do Estado. Só nesta terça-feira (12), foram retirados 100 kg do estuário do rio Persinunga, na divisa com Alagoas.

Folha de Pernambuco

Fragmentos de petróleo cru continuam sendo recolhidos no litoral pernambucano. Nesta terça-feira (12), uma equipe de mergulhadores da operação “Amazônia azul, mar limpo é vida” retirou 100 kg de resíduos com óleo e areia que estavam sedimentados no leito do rio Persinunga, em São José da Coroa Grande, na divisa entre Pernambuco e Alagoas. Com isso, só esta semana foram recolhidos 125 kg no Estado. O material foi encaminhado para a Defesa Civil, que fará o descarte.

Leia também:
Estudo mostra que peixe de áreas atingidas por óleo pode ser consumido
Marinha reforça limpeza do óleo no litoral de Pernambuco
Fuzileiros da Marinha reforçam ação de monitoramento em Suape


Na segunda-feira (11), os fuzileiros navais já tinham encontrado 25 kg no estuário do Persinunga. Entre os mais de 700 agentes da Marinha que chegaram ao Estado no último domingo, o efetivo de 50 mergulhadores se concentrou em São João de Coroa Grande, onde foi constatada a maior quantidade de óleo, mas também foram feitos mergulhos na ilha de Itapessoca, no município de Goiana. “Os estuários têm sido o foco da nossa ação porque, ao encontrar a água doce do rio, o óleo tem se assentado no solo”, explica o capitão de fragata Luiz Felipe de Almeida Rodrigues.

Ao todo, 725 fuzileiros navais, incluindo oficiais e praças, desembarcaram no fim de semana no Porto de Suape, onde foi instalada a base da operação. O objetivo é reforçar os trabalhos de limpeza da costa nordestina. Segundo o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), até a última segunda-feira, 494 localidades de 10 estados, sendo os nove do Nordeste mais o Espírito Santo, foram afetadas pelo derramamento.