No primeiro dia útil após integração temporal, usuários reclamam

No primeiro dia útil após a mudança, que obriga os passageiros a utilizarem o Vale Eletrônico Metropolitano (Vem) na integração, os usuários tiveram que se adaptar ao novo sistema e se mostraram insatisfeitos

No primeiro dia útil após a mudança, que obriga os passageiros a utilizarem o Vale Eletrônico Metropolitano (Vem) na integração, os usuários tiveram que se adaptar ao novo sistema e se mostraram insatisfeitos

No primeiro dia útil após a mudança, que obriga os passageiros a utilizarem o Vale Eletrônico Metropolitano (Vem) na integração, os usuários tiveram que se adaptar ao novo sistema e se mostraram insatisfeitos

Folha de Pernambuco

O sistema de integração temporal foi implantado no último sábado (9) nos terminais integrados Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, e Cosme e Damião, em Camaragibe, ambos na Região Metropolitana do Recife. No primeiro dia útil, após a mudança, que obriga os passageiros a utilizarem o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM) na integração, os usuários tiveram que se adaptar ao novo sistema e se mostraram insatisfeitos com a alteração.

No Terminal Integrado de Prazeres, a procura pela emissão do cartão VEM foi intensificada. Quem utilizava o sistema de integração pagando a tarifa em dinheiro agora precisa do cartão para acessar o metrô ou o terminal de ônibus. Denise Lima, 40, que usa o transporte público diariamente, afirmou que pagou uma passagem no dinheiro ao embarcar no ônibus e teve que pagar uma nova tarifa para acessar o metrô. “Eles não se importam também se a gente pega um engarrafamento ou mora longe e faz trajetos longos. O tempo de tolerância é muito pequeno”, disse a passageira. Segundo o Grande Recife Consórcio, não será cobrada uma nova tarifa se o embarque for feito com um intervalo de até duas horas após o primeiro embarque.

Leia também:
Integração temporal nos TIs Prazeres e Cosme e Damião começa neste sábado
Estações Prazeres e Cosme e Damião aderem à integração temporal
Terminal Getúlio Vargas, na avenida Caxangá, adere à integração temporal


Maiara Araújo, 24, também se disse prejudicada pela integração temporal. Sem créditos no VEM, a autônoma pagou uma passagem de ônibus com destino ao terminal, onde faria uma integração. “Não sabia da mudança, agora vou ter que recarregar o cartão e terei que pagar mais uma passagem nesse segundo ônibus”, reclamou.

Com a integração temporal, os usuários que desembarcarem nos dois terminais em direção ao metrô deverão passar o cartão VEM. Assim como os passageiros que desembarcarem no metrô em direção a uma das linhas de ônibus, deverão entrar pela porta da frente e passar o cartão no validador do coletivo. 

De acordo com o Consórcio, cerca de oito mil usuários fazem a integração nas estações Prazeres e Cosme e Damião e devem ser afetados pela medida. As estações somam-se aos quatro terminais que já funcionavam sob esse sistema (Cavaleiro, Largo da Paz, Recife e Santa Luzia).