Nova interdição de ponte em Olinda causa transtornos para moradores e comerciantes

A ponte foi interditada na manhã desta quinta-feira (5) e só deve ser liberada na próxima terça-feira (10)

A ponte foi interditada na manhã desta quinta-feira (5) e só deve ser liberada na próxima terça-feira (10)

A ponte foi interditada na manhã desta quinta-feira (5) e só deve ser liberada na próxima terça-feira (10)

Folha de Pernambuco

Menos de um mês depois da liberação da nova ponte da avenida Fagundes Varela, no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, moradores e comerciantes do local lidam com os transtornos de uma nova interdição. A ponte foi fechada mais uma vez na manhã desta quinta-feira (5) e só deve ser liberada na próxima terça-feira (10).

“As obras duraram três meses e, nesse período, todo os comerciantes do bairro tiveram prejuízos, inúmeras lojas foram fechadas. Com a abertura da ponte, as coisas estavam voltando ao normal, mas, infelizmente, fomos pegos de surpresa com esse novo fechamento para a conclusão da obra”, declarou o comerciante André Mendes, 48.

Leia também:
Ponte será interditada novamente em Olinda para conclusão de obras
Trânsito no bairro dos Coelhos passa por mudanças a partir desta quarta

De acordo com a Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab-PE), a medida já estava programado antes da liberação da estrutura, que foi inaugurada em 10 de fevereiro. A nova interdição foi realizada para que a via receba a aplicação da junta de dilatação para evitar desníveis futuros entre a pista e o concreto da ponte.

“A obra não está correspondendo à expectativa dos moradores porque o projeto inicial era que essa ponte fosse uma via de mão única que daria acesso à saída de Jardim Atlântico, mas, como via de mão dupla, os transtornos no trânsito continuam do mesmo jeito”, afirmou a moradora do bairro Olívia Deda, 64.

As obras tiveram início em outubro de 2019 e fazem parte da primeira etapa do projeto do alargamento do Canal do Fragoso, que envolve a construção de oito pontes. A previsão é de que a primeira fase do projeto seja concluída este mês.

Além de todos os transtornos que afetam o tráfego do bairro, os moradores estão preocupados com os possíveis alagamentos que podem ser causados pelas chuvas. “Durante as obras, a água toda está represada, mas nós estamos preocupados aguardando as chuvas e os possíveis desastres que podem acontecer porque aqui já alaga normalmente, e as pontes provavelmente vão ficar alagadas também”, afirmou a moradora e comerciante Leilane Bezerra.



Trânsito 

Durante a interdição, os veículos, inclusive transporte público, que desejarem sair do bairro de Jardim Atlântico em direção à beira-mar devem circular na ponte construída pela Cehab, na rua Aluízio de Azevedo. O acesso entre a estrutura e a Fagundes Varela é feito pela rua Catulo da Paixão Cearense. A ponte que será usada, exclusivamente, no sentido de saída do bairro ligará a rua Catulo da Paixão Cearense à av. Gov. Carlos de Lima Cavalcante, na altura da praça Procurador Pedro Jorge, em Casa Caiada.

Já os motoristas que desejarem entrar no bairro de Jardim Atlântico a partir da av. Governador Carlos de Lima Cavalcante, deverão usar a ponte da rua Fernando C. de Andrade, seguindo pela rua Nilson Sabino Pinho. Depois, o caminho seguirá pela rua Jornalista Edson Regis até acessar a avenida Fagundes Varela, nas proximidades da Pizzaria Atlântico. Porém, o acesso dos veículos de pequeno porte pela Fernando Cesar Andrade é feito pela orla, e o giro à esquerda, feito na avenida Carlos de Lima Cavalcante, continua restrito aos ônibus.