Folha de Pernambuco Operação orienta sobre distanciamento social e distribui máscaras no Recife

Operação orienta sobre distanciamento social e distribui máscaras no Recife

Agentes e fiscais da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Vigilância abordam pedestres e comerciantes no entorno do TI Afogados, na Zona Oeste da capital pernambucana.

Agentes e fiscais da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Vigilância abordam pedestres e comerciantes no entorno do TI Afogados, na Zona Oeste da capital pernambucana.

Agentes e fiscais da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Vigilância abordam pedestres e comerciantes no entorno do TI Afogados, na Zona Oeste da capital pernambucana.

Folha de Pernambuco

Apesar dos decretos que determinam medidas restritivas para evitar aglomerações nas ruas e, assim, diminuir o contágio do novo coronavírus, o índice de isolamento social em Pernambuco, hoje em torno de 50%, continua longe do mínimo ideal de 70%. Assim, com o objetivo de fazer as pessoas cumprirem as medidas restritivas, órgãos do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife realizam, a partir desta quinta-feira (7), a operação conjunta ‘Choque de Ordem e Conscientização’. A ação começou no bairro de Afogados, na Zona Oeste da capital pernambucana, mas deverá ser realizada em outras localidades nas próximas semanas.

O trabalho teve início por volta das 6h, nas proximidades do Terminal Integrado de Afogados. Ao longo do dia, agentes da Polícia Militar (PM), Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e outras instituições orientam comerciantes e pedestres a fim de organizar os espaços para que seja respeitado o distanciamento entre as pessoas nas filas. Também estão sendo entregues mais de 3 mil máscaras à população. “A gente conscientiza sobre o decreto governamental, a necessidade do distanciamento social e de que os estabelecimentos que não vendem produtos essenciais permaneçam fechados”, informa o assessor de imprensa da PM, tenente-coronel Luiz Cláudio Brito.

Leia também:
Pernambuco tem 50% de adesão ao isolamento social, segundo painel
Sobrecarga e riscos pioram saúde mental de médicos e enfermeiros na pandemia
Governador adota expressão 'isolamento rígido' para nova fase


Quem insistir em desobedecer às determinações pode ser levado à delegacia. Segundo o porta-voz da Polícia Militar, a receptividade no início da operação foi “muito boa” em geral. “Alguns comerciantes estavam meio chateados porque vendem bebida alcóolica, que é um produto não essencial, mas não ofereceram resistência”, diz o tenente-coronel Luiz Cláudio Brito. Ele também disse que as equipes têm atuado para ordenar as filas no entorno de agências bancárias. “Em Afogados, não vi esse problema, mas a Polícia Militar estará presente para que os funcionários da Caixa e a CTTU possam organizar com o distanciamento previsto”, afirma.

Descumprimento
Desde que os decretos entraram em vigor, entre março e abril, a Polícia Militar contabilizou, em Pernambuco, cerca de 47 mil denúncias de descumprimento. Desse total, 25 mil se referem a aglomerações e 10 mil, ao funcionamento de bares e restaurantes sem autorização. “E em Afogados, por exemplo, tem muito comércio funcionando como se a pandemia não existisse”, comenta o tenente-coronel Brito. Ao todo, estão sendo empregados 80 agentes da Polícia Militar, além dos fiscais do Estado e da Prefeitura.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

+ Coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo  + Coronavírus na Política + Coronavírus na Economia + Coronavírus em Diversão&Arte + Coronavírus no Esporte

Últimas