Pequim reitera oposição à independência de Taiwan após vitória de Tsai

Atual presidente taiwanesa foi reeleita neste sábado

Atual presidente taiwanesa foi reeleita neste sábado

Atual presidente taiwanesa foi reeleita neste sábado

Folha de Pernambuco

Pouco após a confirmação de que a atual presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, 63 anos, venceu as eleições presidenciais realizadas hoje (11) e assumirá um segundo mandato, o governo da China voltou a se opor às manifestações pró-independência da ilha.

“Opomo-nos veementemente a qualquer forma de independência de Taiwan”, disse o porta-voz do gabinete de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado da China, Ma Xiaoguang, num breve comunicado divulgado pela imprensa estatal chinesa.

Leia também:
Tsai Ing-wen é reeleita no Taiwan
Han admite derrota e pavimenta reeleição de Tsai Ing-wen em Taiwan


Ma lembrou que o governo chinês continuará estimulando a "reunificação pacífica" entre Taiwan e a China, por meio da aplicação do princípio “um país, dois sistemas” - o mesmo que já vigora em Hong Kong e Macau, territórios que já estiveram sob administração inglesa e portuguesa, respectivamente, e que, hoje, são regiões administrativas especiais consideradas partes do território chinês, mas com relativa autonomia em várias áreas de governo.

O porta-voz chinês disse também que a China está "disposta a trabalhar" com os "compatriotas de Taiwan para promover o desenvolvimento pacífico das relações" entre China e Taiwan, mas sem abrir mão da proposta de "reunificação pacífica da pátria mãe", negando a possibilidade de uma Taiwan independente.

Reeleição
Tsai Ing-wen, do Partido Democrático Progressista (pró-independência), declarou-se vencedora das eleições realizadas hoje, ao receber mais de 8,1 milhões de votos (57,1% do total), enquanto o seu principal rival, Han Kuo-yu, do Kuomintang (KMT), obteve 5,5 milhões de votos, 38,6%.

Desde que Tsai assumiu seu primeiro mandato presidencial, em 2016, as relações entre Taipé e Pequim vem se deteriorando. A reeleição de Tsai sinaliza a forte oposição dos eleitores da ilha às reivindicações da China sobre aquele território.

No seu discurso, depois da vitória nas eleições, Tsai disse que espera que Pequim possa "interpretar o sinal" dado pelos resultados eleitorais. Segundo ela, os taiwaneses não aceitam as "ameaças" do governo chinês.

“Taiwan mostrou ao mundo o quanto amamos o nosso modo de vida, livre e democrático, bem como a nossa nação”, disse a presidenta reeleita.

Tsai Ing-wen derrotou dois adversários: Han Kuo-yu, o principal candidato da oposição, que concorria pelo Partido Nacionalista, e James Soong (conservador e favorável a Pequim) do pequeno Partido Primeiro o Povo.