Polêmica que envolve Juninho deve ser arquivada pela justiça

No começo do mês de novembro, o atacante do Sport se envolveu em uma confusão, em uma boate, na Zona Norte do Recife

No começo do mês de novembro, o atacante do Sport se envolveu em uma confusão, em uma boate, na Zona Norte do Recife

No começo do mês de novembro, o atacante do Sport se envolveu em uma confusão, em uma boate, na Zona Norte do Recife

Folha de Pernambuco

No início do mês, o atacante Juninho havia se envolvido em mais uma polêmica extracampo. Ele estava sendo investigado pela Polícia Civil por um possível uso de arma de fogo durante uma confusão, em uma boate, na Zona Norte do Recife. Por falta de provas, o caso deve ser arquivado pela justiça.

Nesta quinta-feira (21), o advogado do jogador, Ernesto Cavalcanti, afirmou que "a delegada (Lídia Barci) vai mandar o caso para o Ministério Público. Como não há provas, deve ir para o arquivamento", declarou.

Delegada responsável pelo caso, Lídia Barci confirmou o que havia sido relatado pelo representante do atleta do Sport. Segundo ela, "agora vai ficar nas mãos do juiz. O inquérito foi feito, procuramos provas, mas como não há nada concreto. Ficará a cargo da justiça."

Revelado no Sport, Juninho despontou como grande promessa na Copa do Brasil sub-17 de 2016. Desde então, porém, acumulou mais polêmicas do que boas lembranças futebolísticas. No fim de 2017 ele foi indiciado por agressão, ameaça e injúria à ex-namorada , e na ocasião saiu sob fiança. Com passagem pelo Ceará, no ano passado, o atacante voltou ao Leão para a disputa do Campeonato Pernambucano deste ano. No entanto, no início do campeonato o atleta foi acusado de agressão contra o repórter Victor Pereira, da CBN.

Leia também:
Polícia abre inquérito para investigar Juninho
Juninho depõe em delegacia após confusão em boate