Programa Atitude tem reconhecimento internacional

Iniciativa pernambucana que acolhe usuários de drogas é um dos destaques em livro do Governo Alemão que aborda redução de danos em sete países

Iniciativa pernambucana que acolhe usuários de drogas é um dos destaques em livro do Governo Alemão que aborda redução de danos em sete países

Iniciativa pernambucana que acolhe usuários de drogas é um dos destaques em livro do Governo Alemão que aborda redução de danos em sete países

Folha de Pernambuco

O programa Atitude, que oferece acolhimento para usuários de drogas e auxílio aos seus familiares, foi reconhecido internacionalmente como uma das iniciativas promissoras de redução de danos em sete países. O programa é o único do Brasil a integrar o livro "Limites da Correria - Redução de danos para usuários de drogas estimulantes", publicado pelo governo da Alemanha, por meio da Parceria Global em Políticas de Drogas e Desenvolvimento, em conjunto com a Organização Mainline.

Agora, a Escola Livre de Redução de Danos prepara o lançamento da obra em português durante o seminário que marca os 30 anos da redução de danos no Brasil e celebra o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Durante seus oito anos de trajetória, o Atitude recebeu reconhecimento nacional e internacional, serviu de base para pesquisas científicas e discussões sobre o tema. De janeiro a setembro deste ano, foram realizados quase 132 mil atendimentos pelo programa nas cidades de Recife, Jaboatão e Cabo, na Região Metropolitana, além de Caruaru, no Agreste.

O programa governamental surgiu em 2011 como parte da política estadual de segurança pública, interligado à política de assistência social, com dois objetivos: reduzir os homicídios, descritos oficialmente nas estatísticas como crimes violentos letais intencionais (CVLIs), e ajudar pessoas que usam crack e estão em situações violentas e vulneráveis e seus familiares.

Leia também:
Atitude: atendimento intensivo faz 70% dos usuários diminuírem o consumo de drogas
Brasil e Bolívia vão fortalecer o combate ao narcotráfico na fronteira


O projeto trabalha para aumentar a qualidade de vida das pessoas, promover proteção social, prevenir a criminalidade e evitar o encarceramento. Há quatro modalidades de atuação: o Atitude nas Ruas (itinerante), o Centro de Acolhimento (modelo casa de passagem), o Acolhimento Intensivo (proteção integral) e o Aluguel Social (benefício).

De acordo com a presidenta do Conselho Estadual de Política sobre Drogas (Cepad), Priscila Gadelha, outro diferencial é o serviço de acolhimento intensivo em separado voltado especificamente para mulheres (cis e trans), mães, gestantes e suas famílias. "O Atitude é uma conquista de todas e todos, da sociedade. Uma política governamental que precisa seguir firme, estruturada e laica”, comenta.

Para o secretário de Políticas de Prevenção às Drogas, Clóvis Benevides, a indicação representa o reconhecimento do trabalho do Governo de Pernambuco nos últimos oito anos desde a concepção, à implementação e a gestão efetiva do programa, que é hoje o maior na perspectiva de cuidado e redução de danos no Brasil. "Atribuo primeiramente à capacidade de intervenção das equipes na oferta do atendimento, ao respeito às escolhas e trajetória dos usuários e à metodologia de organização do programa", disse Benevides.

Ainda segundo o secretário, na semana passada foi constituído um grupo de trabalho que vai reorganizar os contratos das Organizações Sociais parceiras. "É um momento de avaliar como foi a execução do ponto de vista dos resultados operacionais, mas também refazer uma rodada de diálogo com técnicos, coordenadores de núcleos, coletivos e áreas da universidade para que a nova licitação traga as adequações eventualmente necessárias e consolide os avanços dos bons resultados", disse.

As atividades que posteriormente formariam o Atitude começaram em 2007. As cidades do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes tinham centros para jovens que sofreram casos de violência que forneciam alimentação, oficinas, auxílio financeiro e ajuda com geração de renda. Os casos de uso de drogas eram encaminhados aos Caps AD. Quando os centros formaram as equipes de abordagem social, elas começaram a alcançar uma população em situação de rua que usava drogas e sofria ameaças de morte. Tal cenário promoveu no Governo do Estado a necessidade de visão ampliada e com novos horizontes, dando origem aos atendimentos em redução de danos no contexto de violência e proteção à vida.

Seminário
O lançamento do livro Limites da Correria acontecerá durante o seminário internacional "Os 30 anos da Redução de Danos no Brasil", que acontecerá nas próximas segunda e terça-feira. O evento terá uma série de debates e será realizado no auditório G2 da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Centro do Recife, mas as inscrições já estão encerradas.