Quadrilha suspeita de roubo a bancos e tráfico na RMR é desarticulada em operação

As investigações indicam que membros da quadrilha participavam de assaltos à bancos e de investidas contra empresas de transporte de bens valiosos

As investigações indicam que membros da quadrilha participavam de assaltos à bancos e de investidas contra empresas de transporte de bens valiosos

As investigações indicam que membros da quadrilha participavam de assaltos à bancos e de investidas contra empresas de transporte de bens valiosos

Folha de Pernambuco

Quatro suspeitos de participarem de uma quadrilha de traficantes que atuava na Região Metropolitana do Recife foram presos na última terça-feira (28). As investigações da Operação Transporte Fantasma, que começaram em setembro, resultaram nas prisões, que ocorreram no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes (RMR). De acordo com a Polícia Civil, que divulgou o caso nesta terça-feira (5), o grupo era especializado em roubos a banco e tráfico de drogas, armas e munições.

As investigações começaram com a prisão de um taxista que transportava uma quantia em drogas avaliada em R$ 75 mil. A prisão do taxista, que, segundo a polícia, atuava como uma “mula”, aconteceu no dia 6 de setembro, em Goiana, também na RMR. As investigações levaram até José Divison de Souza, 34 anos e conhecido como "Coxinha", que atuava como líder da organização criminosa.

Leia também:
Polícia Civil combate pirataria digital em doze estados
Preso no Aeroporto do Recife paraense com 400 mil euros em bagagem

Além de Divison, foram presos Patrick Xavier de Araújo, 27, que, de acordo com a polícia, é investigado por mais de dez homicídios cometidos na RMR. Ele era responsável pelos assassinatos cometidos pela quadrilha e Cléber Augusto, que o assessorava e cedia veículos para as ações da quadrilha. Também foi preso um motorista de aplicativo, cuja identidade não foi divulgada, que transportava as drogas a pedido do grupo.

Com o grupo, foram apreendidos ao todo 14 quilos de crack, uma pistola 9 mm, munições, balaclavas, uma máquina de contagem de cédulas de dinheiro e documentações que indicavam práticas delituosas.

Segundo a Polícia Civil, as investigações indicam que membros da quadrilha participavam de assaltos a bancos e de investidas contra empresas de transporte de bens valiosos, que eram utilizados para movimentar o tráfico de drogas e de armas. A polícia afirma ainda que podem existir outras pessoas ligadas ao grupo, que deverão ser apontadas pelo decorrer das investigações.

Os quatro integrantes da quadrilha foram presos em flagrante e levados ao Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.