Reeducandos trabalharão em TIs e estações de BRT

Ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e o Conorte

Ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e o Conorte

Ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e o Conorte

Folha de Pernambuco

Reeducandos do regime aberto irão trabalhar em estações de BRT e Terminais Integrados do corredor Recife-Igarassu. Segundo o Patronato Penitenciário, 40 contratados começam a atuar nos próximos dias. A ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e o Conorte.

Outros egressos prisionais já trabalham em estações de BRT. Somando aos novatos já são 82 frentes de trabalho na mesma função. Os reeducandos irão ser divididos em dois turnos e vão atuar em áreas como organização das filas, controle à gratuidade destinada a idosos e pessoas com deficiência e controlar a evasão de passageiros nos ônibus.

Leia também:
Após reforma realizada por reeducandos, Biblioteca Pública Municipal de Olinda reabre as portas
PE aumenta em 63% número de reeducandos com trabalho


A remuneração para os reeducandos será de um salário mínimo, R$ 1.045. Todos os apenados são acompanhados pelo Patronato Penitenciário, órgão ligado à SJDH, responsável por acompanhar a pena de ex-detentos no regime aberto e livramento condicional.

Para o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, oferecer oportunidade de trabalho aos reeducandos ajuda no combate a criminalidade. “A chance de voltar ao mercado significa um recomeço para aqueles que querem mudar de vida e também interrompe um ciclo de violência com a redução da reincidência criminal”, aponta.