Rodoviários ameaçam paralisar as atividades durante o Carnaval

A paralisação da categoria pode acontecer caso não seja estabelecido um acordo com o Governo do Estado sobre a dupla função dos motoristas

A paralisação da categoria pode acontecer caso não seja estabelecido um acordo com o Governo do Estado sobre a dupla função dos motoristas

A paralisação da categoria pode acontecer caso não seja estabelecido um acordo com o Governo do Estado sobre a dupla função dos motoristas

Folha de Pernambuco

A população pernambucana pode ficar sem ônibus durante o Carnaval. Isso porque, o Sindicato dos Rodoviários declarou que, caso não haja nenhum acordo entre a categoria e o Governo do Estado na próxima semana, novas paralisações serão realizadas. Os rodoviários convocaram uma assembleia na próxima quarta-feira (19), para discutir a possibilidade das novas manifestações no período carnavalesco.

Desde novembro do ano passado, motoristas e cobradores vêm realizando paralisações pontuais na capital pernambucana reivindicando o fim da dupla função do motorista e contestando a demissão em massa dos cobradores.

De acordo com o presidente do sindicato, Aldo Lima, no fim do ano passado o Governo do Estado pediu uma trégua nas mobilizações e estabeleceu um limite até o dia 30 de janeiro para dar uma resposta sobre as reivindicações. “Pediram para a gente dar uma pausa e nós pausamos. Esperamos até o dia 30 de janeiro, já estamos no dia 13 e nenhum retorno foi dado. Discutiremos com a categoria em massa sobre a paralisação, mas tudo indica que pararemos durante o Carnaval”, pontuou.

Leia também:
Após 73ª paralisação do metrô no ano, usuários se queixam de serviços precários
Todos os assentos de ônibus da RMR passam a ser preferenciais

Ainda de acordo com Aldo, é possível que a paralisação continue mesmo após os dias de folia, pois, um calendário será preparado para intensificar as manifestações e pressionar o Estado.

Além do fim da dupla função, o sindicato também solicita um decreto de lei que impeça qualquer acúmulo de função dos rodoviários e a readmissão dos funcionários que foram demitidos no ano passado.

De acordo com a assessoria de Imprensa da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), a pasta só vai se pronunciar caso a paralisação seja confirmada na próxima semana. “Por enquanto é uma possibilidade de paralisação. Só é possível ter noção da dimensão e elaborar planejamentos após um comunicado oficial, um posicionamento concreto.”