Rubro-negro refuta 'mala branca' e corpo mole

Apesar de já ter garantido acesso à Série A, Sport desperta atenção de concorrentes na briga por vagas restantes, mas prega seriedade

Apesar de já ter garantido acesso à Série A, Sport desperta atenção de concorrentes na briga por vagas restantes, mas prega seriedade

Apesar de já ter garantido acesso à Série A, Sport desperta atenção de concorrentes na briga por vagas restantes, mas prega seriedade

Folha de Pernambuco

Falta apenas uma rodada para o término do Campeonato Brasileiro da Série B. Apesar de estar com o acesso garantido, o Sport está envolvido diretamente na briga por, pelo menos, uma das duas últimas vagas para a Série A do próximo ano. O Leão visita o Atlético/GO, no sábado (30), e pode ajudar Coritiba e América/MG, caso vença, ou até mesmo se empatar o seu compromisso, em Goiânia.

Questionado sobre a possibilidade de o Sport receber a famosa "mala branca" - incentivo financeiro - dos concorrentes às últimas vagas, o diretor executivo Lucas Drubscky afirmou que não há hipótese de o Leão entregar a partida ou vencer por conta do interesse de terceiros. "Não tem isso. Se vamos ganhar o jogo ou não, será a partida que vai dizer. Se tem alguma coisa de mala branca, não passou por mim e nem por ninguém que eu tenha conhecimento da diretoria. Muito menos pelos jogadores. Não pode, em um clube como o Sport, fazer uma viagem desgastante, ficar longe da família, para chegar lá e entregar a partida. Com todo respeito, mas o jogador que veste esta camisa não pode fazer isso", garantiu o dirigente.

Sobre a possibilidade de o time pernambucano poupar jogadores e antecipar as férias de alguns atletas do elenco, Drubscky foi taxativo. "Nosso planejamento para o jogo foi feito como de acordo com o realizado ao longo do ano. Vamos viajar com dois dias de antecedência, não dispensamos ninguém. Tirando quem está suspenso ou lesionado, quem estiver apto vai viajar. Sou amigo pessoal do diretor do América/MG e ele perguntou para mim como vamos para a partida. Falei que vamos para ganhar", completou.

Elenco

Já pensando na montagem do elenco para o próximo ano, a cúpula de futebol do Sport mantém os pés no chão. Nomes consagrados do futebol nacional dificilmente vão desembarcar na Ilha do Retiro. A ideia da diretoria é trazer atletas que tenham "fome" e que não venham para o Leão apenas para "passear".

"Sabemos que a folha terá que ser maior que a atual, é um fato. O nível de competição pede mais. Sem falar que teremos a Copa do Nordeste, a Copa do Brasil... Mas queremos jogadores que tenham fome, que possam resolver nossos problemas, e não que venham para passear. Eu cito o exemplo de Jair. Quando trouxemos, estava jogando a Série C pelo Juventude, e hoje é dispensável no Atlético/MG. Em questão de um ano ele se transformou de um jogador de Série C para Série A? Claro que não. Ele era jogador de Série A jogando a Série C. A gente pensa muito mais em prospectar bons valores, como fazem Goiás, Bahia, que têm investimentos menores e fazem boas campanhas."

Leia também:
Sport se reapresenta visando última rodada da Série B
Em coletivo movimentado, Guto arma Sport com 14 titulares
Sport brinda campanha bem-sucedida