Santa deve fazer valer invencibilidade no Arruda neste início de 2020

As partidas comandadas no José do Rego Maciel podem ser essenciais para o Tricolor conquistar os objetivos primários na temporada, inclusive na Copa do Nordeste

As partidas comandadas no José do Rego Maciel podem ser essenciais para o Tricolor conquistar os objetivos primários na temporada, inclusive na Copa do Nordeste

As partidas comandadas no José do Rego Maciel podem ser essenciais para o Tricolor conquistar os objetivos primários na temporada, inclusive na Copa do Nordeste

Folha de Pernambuco

Com a missão de redesenhar a trajetória traçada, até então sem êxito na Copa do Nordeste, o Santa Cruz deve utilizar de um artifício mais do que favorável neste início de temporada: a invencibilidade no Arruda. O pensamento de atingir bons resultados também fora do Campeonato Pernambucano será testado nesta quinta, na partida perante o ABC, às 20h, pela quarta rodada do regional. O Tricolor ainda não perdeu em seus domínios, e pode ter no fator casa um porto seguro para atingir os objetivos do ano.

Ao todo são quatro jogos de invencibilidade no Arruda, sendo três vitórias - Petrolina (3x0), Vitória (1x0) e Salgueiro (2x1) - pelo Campeonato Pernambucano, além de um empate em 0x0, arrancado do jogo contra o Bahia, na primeira rodada do Nordestão. Para fazer valer o retrospecto positivo, a Cobra Coral deve injetar uma dose de estímulo para a partida contra o Elefante potiguar, não somente vislumbrando o primeiro triunfo no certame, mas também com o olhar voltado para a receita que será adquirida pelo clube caso consiga uma vaga entre os quatro primeiros colocados da ponta da tabela. Reação que, por sinal, deve ser atingida o quanto antes.

Somente na primeira fase, o Santa já tem garantido 1,7 milhão, figurando no subgrupo 2, de acordo com o ranking da CBF. Se avançar às quartas de final, o Tricolor embolsará mais R$ 300 mil. Nesse sentido, fazer valer os jogos em casa é essencial para que o grupo se recupere do início em baixa no torneio, uma vez que a realidade apresentada no Estadual contrasta com o desempenho do grupo na Copa do Nordeste.

Se depender de um espelho alçado a partir da campanha feita no ano passado, por outro lado, a equipe comandada por Schulle pode chegar longe. O Santa terminou na segunda colocação do grupo A, atrás apenas do Fortaleza, e conseguiu chegar à semifinal do regional, quando caiu para o Tricolor do Pici por 1x0, em jogo único no Castelão. Águas passadas, mas que a torcida coral espera ser repetida em 2020, dessa vez quem sabe até com o segundo título de brinde, e de preferência, no Arruda.

Leia também:
Retrospecto mostra equilíbrio entre Santa x ABC pelo Nordestão
Santa recebe ABC buscando recuperação na Copa do Nordste
Lanterna do Grupo B, Santa inicia Nordestão diferente dos últimos dois anos