Santa mantém atividades suspensas e estabelece novo prazo para junho

Tricolor não entra em campo desde o dia 15 de março, quando venceu o Decisão Bonito por 2x1, no Arruda

Tricolor não entra em campo desde o dia 15 de março, quando venceu o Decisão Bonito por 2x1, no Arruda

Tricolor não entra em campo desde o dia 15 de março, quando venceu o Decisão Bonito por 2x1, no Arruda

Folha de Pernambuco

Em meio ao crescimento expressivo dos números de pessoas infectadas com o novo coronavírus em Pernambuco, o Santa Cruz, pela quarta vez, adiou o retorno das atividades no Arruda. Desta vez, o anúncio vem horas depois de o Governo do Estado anunciar novas medidas restritivas para mitigar o avanço do vírus no Estado. Com isso, o retorno que estava previsto para o dia 18 de maio, foi estendido, com o novo prazo para a normalização das atividades esportivas, administrativas, sociais e de arrecadação presencial no clube estabelecido apenas no dia 1º de junho. 

Com as funções internas paralisadas desde o dia 17 de março, dois dias após vencer o Decisão Bonito por 2x1, sem a presença de público, no Arruda, o Tricolor é um dos clubes pernambucanos afetados pela crise financeira intensificada com a instalação da Covid-19. Em dois meses - março e abril -, a Cobra Coral sofreu com a queda de 74% no quadro de sócios, o que representa perda de mais de R$ 200 mil em arrecadação nesse período. Hoje, o clube conta com um pouco mais de 1 mil sócios e tem a folha salarial quitada justamente através do setor de arrecadação, junto as iniciativas encabeçadas pelo marketing, como a venda de máscaras e jogo virtual, em alusão à inauguração do Arruda, em 1972, contra o Flamengo. 

Para amenizar o prejuízo, o Tricolor instaurou uma série de ações, inclusive com a redução de 30% do salário dos atletas.