São Paulo anuncia a suspensão do contrato do goleiro Jean

A atitude da diretoria pode ser encarada como uma uma forma de se proteger de um possível problema jurídico no futuro

A atitude da diretoria pode ser encarada como uma uma forma de se proteger de um possível problema jurídico no futuro

A atitude da diretoria pode ser encarada como uma uma forma de se proteger de um possível problema jurídico no futuro

Folha de Pernambuco

O São Paulo anunciou na noite desta quinta-feira (9), por meio de seu site oficial, a suspensão do contrato do goleiro Jean, preso nos Estados Unidos sob a acusação de agressão à mulher, Milena Bemfica.

A atitude da diretoria pode ser encarada como uma uma forma de se proteger de um possível problema jurídico no futuro.

Se optasse por uma demissão por justa-causa em vez da suspensão, o São Paulo entende que Jean poderia depois entrar na Justiça para ser indenizado pelo encerramento de seu contrato, o que geraria um alto gasto do clube para um atleta que cometeu uma agressão.

Com o contrato suspenso, Jean não recebe salários até resolver o seu futuro no clube do Morumbi. O São Paulo deixa aberto o caminho para que outras equipes tentem contratar Jean, em valores considerados simbólicos e já acordados com o estafe do jogador.

Leia também:
Esposa de Jean detalha agressão e diz estar 'perdida' sobre processo no BR
Jean, do São Paulo, é solto após ser acusado de agredir esposa


Jean tinha contrato até o fim de 2022, mas esse vínculo pode ser encerrado de vez no fim deste ano caso o goleiro não encontre uma nova equipe para atuar.

Confira a nota publicada pelo São Paulo na íntegra:
"O São Paulo Futebol Clube comunica que nesta quinta-feira (9) firmou a suspensão do contrato de trabalho do atleta Jean Paulo Fernandes Filho.
O contrato permanecerá suspenso até 31 de dezembro de 2020, período durante o qual o atleta poderá exercer atividades por outras agremiações em condições já estipuladas. Caso o jogador não seja contratado por um outro clube durante este período, o São Paulo Futebol Clube poderá decidir pela rescisão de contrato ao final deste ano de suspensão."