Sobrou comida na ceia? Saiba guardar!

Especialistas orientam como armazenar corretamente os alimentos da ceia de fim de ano

Especialistas orientam como armazenar corretamente os alimentos da ceia de fim de ano

Especialistas orientam como armazenar corretamente os alimentos da ceia de fim de ano

Folha de Pernambuco

A fartura na mesa de fim de ano é o primeiro sinal de que o famoso ‘resto de ontem’ está por vir. Quem já garantiu o RO do Natal sabe o que isso significa. São intermináveis marmitas estocadas na geladeira com a missão de durar uma semana inteira ou mais. Ok, sem julgamentos! Mas, para nada sair do controle, evitando o desperdício e a intoxicação alimentar, vale ficar atento aos itens que certamente também sobrarão neste Réveillon.

Os cuidados básicos passam pela correta higienização dos utensílios, do tempo de resfriamento e o que, de fato, merece ser estocado por um longo período. Segundo a nutricionista e professora do Centro Universitário IBMR, Zoraia Moura, deixar alimentos cozidos fora da geladeira por mais de duas horas é um dos erros comuns que devem ser evitados nesta época. “Além disso, é bom fazer o armazenamento correto na geladeira. Prateleira superior é para alimentos preparados e prontos para o consumo, como leite, iogurte, queijo e manteiga“, explica.

“Na parte intermediária devem ir aqueles pratos semi preparados, além de legumes, sobras de comidas em potes com tampa e sucos abertos. E, na área inferior, itens crus o­vos e frutas diversas”, orienta Zoraia. Os cuidados continuam na por­ta da geladeira onde devem ficar garrafas pet, conservas e molhos em geral, porque este é um espaço que perde a refrigeração mais rapidamente.

Leia também:
Nutrição é fator decisivo na compra
Autocuidado e saúde

Como organizar
Não ache que a praticidade de colocar tudo em um mesmo recipiente garante o bom acondicionamento. Segundo a nutricionista Débora Wagner, o ideal é fazer caixinhas separadas por itens. “Por exemplo, coloque o arroz com passas em um recipiente, o piamontese cremoso em outro, assim como a farofa e por aí vai. Nunca faça marmitas misturadas com vários tipos de comida, porque essa ação une características diferentes de cada receita, mudando a condição total do que a pessoa está acondicionando”, aponta.

O mesmo vale para os assados, que, segundo a especialista, precisam ser estocados sem o molho da preparação. “Desfie a carne e guarde as suas partes sem calda ou molho de guarnição em um pote, preferencialmente de vidro com tampa, ou passando um filme plástico”, completa. Essas preparações têm duração de três dias na geladeira ou de três meses no congelador. Logo, esse estoque deve ser planejado a depender do tempo para o consumo.

“A geladeira, quanto mais cheia e mais vezes abrir, maior será a oscilação de temperatura. Além disso, o que poderia estragar um produto seria uma má organização e com várias misturas de alimentos crus e cozidos”, conclui Débora. Por fim, tente organizar minimamente, a fim de conseguir espaço para o refrigeramento - dica que muita gente deixa passar numa época de fartura.