Terça Negra celebra matriarca do terreiro Sítio de Pai Adão

O evento cultural, que acontece nesta terça-feira (12), contará com a participação de maracatus, afoxés e outros grupos que se apresentarão no Pátio de São Pedro

O evento cultural, que acontece nesta terça-feira (12), contará com a participação de maracatus, afoxés e outros grupos que se apresentarão no Pátio de São Pedro

O evento cultural, que acontece nesta terça-feira (12), contará com a participação de maracatus, afoxés e outros grupos que se apresentarão no Pátio de São Pedro

Folha de Pernambuco

Inês Joaquina da Costa (Infá Tinuké), conhecida como Tia Inês, criou, em 1875, o Sítio de Pai Adão, como é conhecido o terreiro Ilê Obá Ogunté. 144 anos após a fundação do terreiro, Tia Inês será homenageada nesta edição da Terça Negra. O evento cultural, que acontece nesta terça-feira (12), contará com a participação de maracatus, afoxés e outros grupos que se apresentarão no Pátio de São Pedro, no bairro de Santo Antônio, região central do Recife.

A programação terá início àss 19h. Entre as atrações, os maracatus Raízes de Pai Adão e Aurora Africana, além dos afoxés Omô Inã, Povo de Oguntê, Coco das Estrelas e Escola de Samba Gigantes do Samba.

O terreiro, localizado no bairro de Água Fria, na Zona Norte do Recife, é considerado  Patrimônio Cultural do Brasil pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Criado em 1875, o Ilê Obá Ogunté Sítio de Pai Adão é considerado o primeiro terreiro de Pernambuco, terceiro do País e primeiro do Brasil de nação Nagô.

Leia também:
Olinda recebe festival de forró em dezembro
Resistência e beleza em 'Agô', exposição que retrata terreiros de candomblé pernambucanos
PEC pode extinguir fundos públicos de patrocínio cultural

O projeto terça Negra é realizado pelo Movimento Negro Unificado (MNU) e traz uma programação diferente para cada terça-feira. Além da celebração do Mês da Consciência Negra, as apresentações deste mês celebram os 20 anos do projeto.