Time alternativo, carências aparentes e preocupação no Santa

Itamar Schulle voltou a citar lacunas da equipe coral, em meio a possibilidade de montar um time misto para enfrentar o Vitória, neste domingo

Itamar Schulle voltou a citar lacunas da equipe coral, em meio a possibilidade de montar um time misto para enfrentar o Vitória, neste domingo

Itamar Schulle voltou a citar lacunas da equipe coral, em meio a possibilidade de montar um time misto para enfrentar o Vitória, neste domingo

Folha de Pernambuco

Aos poucos, os remendos no time do Santa Cruz vão se transformando em críticas reais à dificuldade aparente que o clube está tendo de anunciar novos reforços para a continuidade de 2020. Se de um lado, as tentativas para dar ao Tricolor maior variedade no plantel esbarram na questão financeira e, muitas vezes, na divisão que pelo terceiro ano consecutivo vai disputar, por outro, os buracos em campo já passam de um incômodo à condição de problema real. Na última coletiva de imprensa, após o jogo contra o CRB, quando o Tricolor voltou de Maceió derrotado por 1x0, Itamar Schulle voltou a falar da falta de opções, hoje, no clube coral. Expectativa é de time alternativo diante do Vitória das Tabocas.

“Ou coloca os meninos, um time novo, alternativo ou se corre o risco de se ter várias lesões. Nós nem temos esse time alternativo. Não temos 11 (jogadores) ou até teria, mas não teria opção no banco. Então, é por isso que às vezes eu falo tanto de reforços. Não que eu não esteja contente com o grupo, pelo contrário, estou feliz. Mas eu sei onde termina isso. Mais um jogo, mais dois, você não vence e termina sempre no treinador. Então, a gente lamenta, mas tem coisas que fogem da minha ossada e daquilo que eu posso fazer”, disse o treinador tricolor.

Mesmo já podendo contar com alguns pratas da casa, jovens que foram integrados recentemente ao elenco principal, Itamar Schulle ressalta a necessidade de jogadores com características diversas no elenco e de reforços para montar uma equipe consistente para o resto do ano.

“O drible tem que ter as características. O jogador que mais tem esse drible hoje é Jeremias, que também é de arrancada. Os outros são jogadores mais de marcação e toque, Bileu, Paulinho...Os jogadores de frente são mais jogadores de finalização, que às vezes a gente até improvisa em uma situação de lado. Mas são características de cada atleta. Isso aí, eu tenho certeza que o Santa Cruz vai buscar, tem que buscar no mercado, já passou da época, porque o Santa Cruz é muito grande e nós temos grandes competições que já estamos vivendo. A gente continua salientando essas coisas e trabalhando”, concluiu.

Leia também:
Denilson é regularizado e vira mais uma opção na zaga do Santa
Na busca por ajustes, Santa muda foco e já mira partida pelo Estadual
Após susto, Itamar Schulle cita 'identidade’ para o Santa