Folha de Pernambuco Uefa libera R$ 408 milhões para dividir entre 676 clubes em meio à pandemia

Uefa libera R$ 408 milhões para dividir entre 676 clubes em meio à pandemia

Os pagamentos, que seriam feitos somente quando todos os jogos da repescagem para a competição continental fossem disputados, ocorrerão mesmo com o adiamento da Eurocopa por um ano

Os pagamentos, que seriam feitos somente quando todos os jogos da repescagem para a competição continental fossem disputados, ocorrerão mesmo com o adiamento da Eurocopa por um ano

Os pagamentos, que seriam feitos somente quando todos os jogos da repescagem para a competição continental fossem disputados, ocorrerão mesmo com o adiamento da Eurocopa por um ano

Folha de Pernambuco

A Uefa, entidade que organiza o futebol europeu, dividirá 70 milhões de euros (aproximadamente R$ 408 milhões) entre 676 clubes que lançaram jogadores para as eliminatórias da Eurocopa e jogos da Liga das Nações nos últimos dois anos.
A entidade diz que está adiantando o pagamento para ajudar "à luz da crise atual e das dificuldades financeiras que muitos clubes estão enfrentando em toda a Europa" por causa da pandemia do novo coronavírus.

Os pagamentos, que seriam feitos somente quando todos os jogos da repescagem para a competição continental fossem disputados, ocorrerão mesmo com o adiamento da Eurocopa por um ano. Um acordo de longa data entre e a Uefa e a Associação Europeia de Clubes garante aos times pelo menos 200 milhões de euros (cerda de R$ 1 bilhão) das receitas da Euro 2020 para compensar a liberação de jogadores para as funções nacionais no ciclo 2018-20.

O time com maior lucro receberá 630.000 euros (R$ 3,7 milhões), calculados proporcionalmente por jogador nomeado na ficha de jogo de uma equipe nacional. O clube não foi identificado.

"Isso representa uma injeção de liquidez muito necessária nas finanças dos clubes e é resultado do trabalho conjunto da ECA com a Uefa na proteção de clubes neste momento de ameaça existencial. Embora a saúde pública continue sendo nossa principal preocupação, garantir alívio financeiro, jurídico e regulatório antes do reinício do futebol em toda a Europa, quando for seguro, é de suma importância para a ECA e seus membros", considerou Andrea Agnelli, presidente da Associação Europeia de Clubes.

Leia também:
Futebol alemão aguarda aval do governo para voltar em maio
Possível venda de Joelinton para clube turco pode beneficiar Sport

Últimas