Velejador brasileiro cai no doping e pode perder Olimpíada

Jorge Zarif testou positivo para a substância tamoxifeno em evento-teste da vela e entrou em suspensão preventiva

Jorge Zarif testou positivo para a substância tamoxifeno em evento-teste da vela e entrou em suspensão preventiva

Jorge Zarif testou positivo para a substância tamoxifeno em evento-teste da vela e entrou em suspensão preventiva

Folha de Pernambuco

A delegação brasileira corre o risco de ficar sem um dos seus principais atletas da Vela nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que começam em 24 de julho, no Japão. O velejador paulista Jorge Zarif, campeão mundial da classe Finn em 2013, foi flagrado em exame antidoping com a substância proibida tamoxifeno. O teste foi realizado em agosto do ano passado, quando o atleta participou do evento teste da modalidade na Baía de Enoshima, onde ocorrerão as disputas de vela na Olimpíada do Japão.

Por meio de um comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa na conta pessoal de Zarif no Instagram, o atleta reconheceu que fez uso da substância proibida em tratamento médico e se colocou em suspensão preventivamente pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). Com a opção pela suspensão preventiva, caso Zarif venha a ser punido pela Wada (Agência Mundial Anti-Doping), o prazo de punição passa a valer a partir da data desta quinta (16), quando foi anunciado o resultado do exame e a opção pela suspensão. Se o atleta for suspenso por seis meses, ele poderá retornar às atividades a tempo de participar da Olimpíada de Tóquio.

O velejador explicou no comunicado que fez uso da substância tamoxifeno, durante 20 dias de junho passado sob orientação médica. Ele explicou que se submeteu ao tratamento devido a uma ginecomastia bilateral (aumento do tecido mamário em homens) que lhe causava dores e limitava seus movimentos. Zarif esclareceu ainda que optou pelo tratamento medicamentoso para evitar um procedimento cirúrgico, que poderia afastá-lo de atividades físicas por 45 dias.

Em maio do ano passado, o velejador de 27 anos garantiu uma vaga para o Brasil na classe Finn (barco de 17 pés) ao se classificar para a medal race (corrida por medalha) do campeonato europeu, em Atenas (Grécia). Ao se colocar em suspensão preventiva, Zarif deixa a critério da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) levar outro velejador para a Olimpíada de Tóquio.