WSL lança documentário sobre Ítalo Ferreira

Episódio de ‘Sound Waves’ traz cenas do título mundial do brasileiro, além de momentos de sua vida pessoal

Episódio de ‘Sound Waves’ traz cenas do título mundial do brasileiro, além de momentos de sua vida pessoal

Episódio de ‘Sound Waves’ traz cenas do título mundial do brasileiro, além de momentos de sua vida pessoal

Folha de Pernambuco

Um documentário produzido pela WSL Studios, e lançado no último dia nove, mostra cenas do surfista Ítalo Ferreira durante o título mundial conquistado pelo brasileiro no ano passado, além de momentos com sua família, amigos e a namorada Mari Azevedo. O episódio da da série 'Sound Waves' relata o dia a dia dos melhores surfistas do mundo e já exibiu episódios com o brasileiro Lucas Chumbo, o havaiano Kai Lenny; o californiano Conner Coffin e a costa-riquense Brisa Hennessy, entre outros.

Trata-se de um episódio da ‘Sound Waves’, uma das séries produzidas e exibidas pela WSL nas suas plataformas, que retrata momentos vividos pelos melhores surfistas do mundo durante seu dia a dia, o que inclui vida pessoal, treinamentos e disputas de etapas do campeonato. O documentário pode ser conferido com legendas em português na plataforma da World Surf League na internet no aplicativo da Liga para dispositivos mobile e também no Canal da WSL no Youtube (assista aqui).

O episódio de ‘Sound Waves’ com Ítalo traz cenas do surfista contando sobre sua infância no esporte e a vida muito humilde até conseguir, com o surfe, melhorar as condições de sua família que até hoje reside e trabalha em Baía Formosa, no litoral do Rio Grande do Norte: “Com oito anos de idade, como eu não tinha prancha, usava a tampa do isopor onde meu pai guardava os peixes que vendia nas praias. Mas como eu era muito magrinho conseguia ficar em pé nela", falou o campeão mundial. Depoimentos como de seus pais e do amigo também surfista, Jadson André, fazem parte do documentário.

Hoje com 25 anos, Ítalo Ferreira nasceu e foi criado em Baía Formosa, a 90 km de Natal. Aos 11 anos de idade ganhou sua primeira prancha e, a partir de então, ele não parou mais. Em 2015, foi eleito ‘estreante do ano’ na temporada do WCT, despontando-se na busca do título mundial daquela temporada (quando ficou em sétimo lugar). Ano passado, tornou-se o terceiro surfista brasileiro a conquistar o título mundial e juntou-se a Medina e Adriano de Souza, o 'Mineirinho'. Das últimas seis edições do Circuito Mundial de Surfe da WSL, quatro títulos vieram para o Brasil.

Leia também:
Medina lamenta adiamento no surfe e torce por Olimpíadas

Últimas