Notícias Preocupados com queda de estoques, hemocentros convocam doadores de sangue

Preocupados com queda de estoques, hemocentros convocam doadores de sangue

Agência Estado

Diante do avanço da pandemia do novo coronavírus, hemocentros brasileiros demonstram preocupação com o baixo número de doadores de sangue. Embora cirurgias eletivas tenham sido novamente suspensas, pacientes com quadro grave de covid-19 e internados para outros tipos de atendimento de emergência e urgência dependem de transfusão.

Com estoque de O- crítico suficiente para uso em apenas dois dias, Carlei Heckert Godinho, médica responsável pelo Hemocentro da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, alerta que o cenário atual é preocupante. "Estamos com situação bem crítica de estoques e poucos doadores. A doação continua sendo necessária. Na Santa Casa, por exemplo, recebemos muitos pacientes que sofreram algum tipo de trauma, precisam de internação e dependem de transfusão de sangue, além dos pacientes com covid-19 que ficam mais de 15 dias internados UTI e também necessitam de doação", afirma.

Segundo a médica da Santa Casa, todos os tipos de sangue apresentam baixos estoques, mas o mais preocupante é o tipo O-. "A quantidade de bolsas está muito abaixo da que deveríamos ter para atender pacientes que precisam de transfusão. O O- é o mais crítico, temos para no máximo 48 horas. O que estamos recebendo de doação está sendo suficiente para uso em poucos dias. Não estamos conseguindo armazenar e aumentar o estoque. Ou seja, se não tivermos mais voluntários, poderá faltar. Os demais tipos de sangue temos para uma semana no máximo, a depender da demanda", alerta.

"Todos os tipos de sangue são necessários, até os mais comuns O+ e A+ , mas o O- principalmente, por ser o tipo de sangue que usamos quando não dá tempo de fazer a tipagem sanguínea dependendo do estado em que o paciente chega ao hospital", acrescenta Carlei.

Para ela, a queda de 50% no número de doadores em diversas regiões do País é resultado da pandemia do novo coronavírus. "Desde o ano passado, tivemos uma queda expressiva em todo o Brasil. Mas precisamos reforçar que a doação é importante para a sobrevivência dos hemocentros, ainda mais neste momento crítico. Embora possa parecer repetitivo, precisamos lembrar as pessoas que já doaram e recrutar quem quer ajudar", diz a médica responsável pelo Hemocentro da Santa Casa que antes da pandemia recebia em média 2,8 mil candidatos à doação. Atualmente, 1,5 mil, o que representa queda de quase 50%.

Com apenas 50% do estoque, a Fundação Pró-Sangue de São Paulo também afirma que os casos mais críticos são de O+, O-, A+, A- e B-. Apenas estão estáveis os estoques dos tipos AB+, AB- e B-. Ainda segundo a entidade, a doação de sangue foi bem baixa nos postos de coleta na última semana. "Com o endurecimento das medidas restritivas, tudo indica que a doação deva cair ainda mais", afirma a Pró-Sangue.

Para estimular e proteger a saúde de doadores, protocolos de segurança foram adotados. A Fundação Pró-Sangue adotou medidas cautelares, seguindo orientações técnicas do Governo do Estado de São Paulo. O agendamento pode ser feito pelo link: prosangue.hubglobe.com/

Na Santa Casa, a pessoa deve fazer o agendamento pelo telefone 11 2176-7155. No momento da triagem, é mantido o distanciamento social e nas dependências do hemocentro a higienização é feita a cada saída de doador.

Outros Estados com situação crítica

Assim como instituições de São Paulo, a Fundação de Hemoterapia e Hematologia de Pernambuco (Hemope) afirma que os estoques de todos os tipos sanguíneos estão em situação crítica. "Precisamos repor os estoques sanguíneos com urgência. Este é um serviço essencial para a população, pois trata-se de uma instituição que salva vidas", alerta.

Durante a pandemia, a Hemope está respeitando todas as medidas recomendadas pelo governo para evitar a transmissão da covid-19. "Para evitar aglomerações no principal hemocentro, localizado no Recife, foi montada uma estrutura externa, com toldo, para que os usuários aguardem sua vez. À medida que o espaço interno é desocupado, as pessoas são inseridas no fluxo para o processo de doação", acrescenta.

No Recife, os candidatos podem comparecer ao Hemope Recife de segunda a sábado, das 7h15 às 18h30, inclusive aos feriados. Se o doador preferir, pode agendar a sua doação pelo 0800-081-1535. A sede fica localizada na Rua Joaquim Nabuco, 171, no bairro das Graças.

Com a diminuição de doadores nos hemocentros de Santa Catarina, principalmente nas últimas semanas, o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) reforça a necessidade de doações. Os estoques reduziram em torno de 50%. Na última semana, o tipo sanguíneo O- apresentou nível reduzido. No início do mês, estavam em nível de alerta para os tipos O- e A+.

"Acreditamos que a diminuição se deve ao agravamento da pandemia em todo o Estado. A gente se preocupa com a situação do número de doações, pois a demanda de sangue para os hospitais do Estado continua grande, inclusive para alguns pacientes com covid-19", afirma o chefe do Setor de Captação de Doadores, Silvio Antônio Battistella. "Doar sangue é seguro e seguimos todas as medidas de segurança", acrescenta.

Conforme dados do Hemosc, antes do novo coronavírus, a entidade recebia uma média de 12,5 mil doadores mensalmente. Atualmente, o número caiu para cerca de 11,1 mil, o que representa queda de 11%, mas impacta bastante quando pacientes precisam de transfusão.

Para realizar o agendamento basta acessar o site: www.hemosc.org.br

Últimas