Fique atento aos riscos do escorpião na cidade de São Paulo

Foram registrados mais de 17 mil picadas este ano em São Paulo. É importante ficar atento e tomar certos cuidados

Escorpião amarelo, um perigo em São Paulo

Escorpião amarelo, um perigo em São Paulo

Júlio Alcântara / Estadão Conteúdo

Foram registrados, em São Paulo, mais de 17 mil picadas de escorpião. Mais de 17 mil! O número é realmente impressionante! É importante saber que no período do verão, a quantidade desses animais aumenta, então, atenção!

Na última segunda-feira (14), uma criança de sete anos morreu após ser picada por um escorpião, em Franco da Rocha (SP). Em São Paulo, a Zona Norte e a Zona Leste são as que contém o maior índice de picadas.

Antídoto

Segundo informações do Governo de São Paulo, o soro antiescorpiônico é produzido no Instituto Butantan e distribuído pelo SUS (Sistema único de Saúde). O antídoto fica armazenado nos hospitais de referência, como o Hospital Vital Brazil/Instituto Butantan, em São Paulo. De janeiro a junho deste ano, foram 118 acidentes. Em 2018, no mesmo período, foram 91. O que significa um aumento de quase 30%.

Para evitar que esses animais apareçam em sua residência ou para saber como agir no caso de se deparar com eles, leia as dicas a seguir:

•             Manter a tampa dos ralos internos na posição fechada. Abrir apenas para limpeza e enquanto estiver em uso; 
•             Colocar telas milimétricas nos ralos na área externa;
•             Vedar frestas nos muros, paredes e pisos;
•             Vedar a soleira das portas com rodinho ou rolinhos de areia;
•             Não acumular entulho ou materiais de construção;
•             Verificar se os espelhos de luz e pontos de fiação elétrica não apresentam frestas e vãos; 
•             Manter o ambiente limpo e organizado, acondicionando o lixo em recipientes fechados;
•             Manter a limpeza de jardins, sem acúmulo de folhas e providenciar a limpeza e corte do mato em terrenos.
•             Examinar roupas e calçados antes de usá-los;
•             Manter cama, sofás e berços afastados da parede;
•             Manter lençóis, cobertores e cortinas sem contato diretamente com o chão;
•             Usar luvas grossas ao manusear materiais de construção, na limpeza de jardins ou outros materiais que possam servir de abrigo para escorpiões.
•             Em caso de acidente, procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima.

Nosso jornal “SP NO AR” não deixa você na mão e preparou uma reportagem especial sobre o assunto. Veja abaixo: