Anedotário do R7: Três socos na mesa

Jânio Quadros, em reunião com prefeitos, reage a pedidos exagerados

  • Augusto Nunes | Do R7

Jânio Quadros decidiu fazer reuniões coletivas com prefeitos

Jânio Quadros decidiu fazer reuniões coletivas com prefeitos

Oswald Jurno/21.08.1981/AE

Eleito governador de São Paulo, Jânio Quadros trocou as audiências individuais com prefeitos por encontros que juntavam chefes do executivo municipal da mesma região.

— Eu sabia que todos iriam pedir alguma coisa — contou-me anos mais tarde. — Na frente dos outros, poucos ousam fazer pedidos absurdos. Mas sempre aparece quem faz. 

Numa reunião com prefeitos da região de Bauru, por exemplo, Jânio começou a chamada dos municípios por ordem alfabética.

— E o que deseja Iacanga? — perguntou depois de meia hora.

O prefeito recitou uma quantia que hoje equivaleria a muitos milhões de reais.

— Quanto!? — conferiu o governador com cara de espanto.

O prefeito repetiu a cifra quase sussurrando.

— E em que condições Iacanga quer receber essa verba?

E então o prefeito ultrapassou a fronteira:
— A dado, governador.

— Não!, não! e não! — berrou Jânio, sublinhando cada negativa com um soco na mesa. — O Estado não é a Sociedade São Vicente de Paulo! O próximo prefeito tem a palavra.

A audiência continuou. Mas ninguém pediu mais nada.

Últimas