Demonstração de sensatez

A reunião ocorrida em Brasília foi um bom começo na busca do entendimento


EVARISTO SA / AFP

EVARISTO SA / AFP

Evaristo Sá/AFP - 24.03.2021

O combate à pandemia certamente teria sido mais articulado e eficaz se os três Poderes soubessem agir  em harmonia desde que o primeiro coronavírus decolou da China. Mas é perda de tempo tratar de erros passados. Foi uma demonstração coletiva de sensatez o encontro que reuniu, nesta quarta-feira, os presidentes da República, do Supremo Tribunal Federal, da Câmara dos Deputados e do Senado, além de governadores e ministros de Estado. O inimigo invisível deve ser tratado como uma ameaça à nação, não como um possível aliado eleitoral.

O mundo vai descobrindo que a vacinação em massa, combinada com o distanciamento social e a suspensão de aglomerações, é a melhor forma, talvez a única, de conter o avanço da pandemia e em seguida acuá-la. Insistir em lockdowns cada vez mais agressivos é um monumento à teimosia. Nunca as medidas de isolamento foram tão rigorosas quanto agora. Nem por isso as curvas desenhadas por óbitos e novas infecções deixaram de subir.

Além de promover a reunião Jair Bolsonaro mostrou por palavras e gestos que optou pelo entendimento. Os demais participantes também emitiram sinais de boa vontade. As ações conjuntas dirão se o alto comando da guerra contra a COVID-19 efetivamente compreendeu que é hora de suspender a campanha eleitoral — e pensar nos brasileiros castigados pelo horror sanitário e seus efeitos dolorosos sobre a economia nacional.

Últimas