FHC pretende votar no seu maior inimigo

Um dos melhores presidentes da história do Brasil corre o risco de virar um dos piores ex-presidentes

  • Augusto Nunes | Do R7

Os ex-presidentes Frnando Henrique Cardoso e Lula

Os ex-presidentes Frnando Henrique Cardoso e Lula

Ricardo Stuckert/Instagram

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem todo o direito de não encontrar motivos para votar em Jair Bolsonaro na eleição de 2022. Mas tem também o dever de enxergar os incontáveis motivos que o impedem de  votar em Lula. Foi o chefão do PT, por exemplo, quem batizou de herança madilta o extraordinário legado do antecessor. Foi a sucessora de Lula, Dilma Rousseff, quem fabricou o torpe “dossiê” que acusava FHC e Ruth Cardoso de esbanjarem dinheiro com vinhos.

Durante seus oito anos na Presidência, FHC viu todos os projetos que enviou ao Congresso rejeitados pela bancada do PT. (É isso mesmo: todos, aí incluídos a Lei de Responsabilidade Fiscal e propostas vinculadas ao Plano Real). Em janeiro de 1999, dois meses depois da segunda derrota de Lula no primeiro turno da disputa presidencial, o deputado Tarso Genro lançou a campanha Fora FHC. Sempre por unanimidade o Partido de Lula abraçou a bandeira que exigia o impeachment do presidente reeleito.

Fernando Henrique justifica essa opção com uma miragem insustentável: Lula respeita as normas replublicanas. Se efetivamente tivesse algum apreço pela democracia, o ex-presidente presidiário respeitaria o Código Penal e a verdade. Só pode ser qualificado de mentiroso quem vê, como o palaque ambulante, regimes democráticos em Cuba e na Venezuela.

Fernando Henrique foi um dos melhores presidentes da história do Brasil. Poderá ser incluído entre os piores ex-presidentes se cumprir a promessa de votar no homem que passou a  vida tentando tranformá-lo no responsável pelos problemas passados, presentes e futuros do país.

Últimas