Augusto Nunes Trump tem mais de 71 milhões de eleitores fiéis

Trump tem mais de 71 milhões de eleitores fiéis

Quem conseguirá herdar esse invejável patrimônio político?

  • Augusto Nunes | Do R7

Donald Trump durante um comício em Oshkosh, Wisconsin

Donald Trump durante um comício em Oshkosh, Wisconsin

Tom Brenner / Reuters - 17.8.2020

É verdade que a eleição americana foi assombrada por fenômenos paranormais — milhares de mortos que votam, por exemplo, ou o voto em duplicata. Mas é remota a chance de Donald Trump conseguir um segundo mandato amparado em recursos judiciais. Tão remota quanto a possibilidade de tentar voltar à Presidência em 2024.

Quando se instalou na Casa Branca aos 70 anos de idade, ele foi o mais velho candidato a instalar-se na Casa Branca. Acaba de perder a liderança desse ranking para Joe Biden, 78. Inibido pela condição de octogenário, também o presidente eleito deverá conformar-se com um único mandato.

É compreensível, assim, que democratas e republicanos já estejam à caça de sucessores para os dois candidatos mais votados da história dos EUA. Biden teve mais de 74 milhões de votos e Trump, quase 71 milhões. Esses números informam que o atual chefe de governo teria alcançado uma vitória retumbante se a economia americana não fosse atropelada pela pandemia de covid-19.

Apesar dos estragos decorrentes da crise sanitária, do descontentamento de parte do eleitorado com a estratégia de combate ao vírus chinês e da feroz oposição da imprensa, o desempenho de Trump foi aprovado por quase metade da população. Ele talvez encerre brevemente a carreira política. O trumpismo — goste-se dele ou não —, esse ficará.

Há um imenso patrimônio eleitoral à espera de herdeiros. A campanha presidencial de 2024 vai começar bem mais cedo do que se esperava.

Últimas