Autos Carros Citroen C4 Lounge pode sair de linha no Brasil após sete anos

Citroen C4 Lounge pode sair de linha no Brasil após sete anos

Sedã pode ser o próximo modelo da Citroën a deixar de ser comercializado no Brasil

  • Autos Carros | Marcos Camargo Jr

Citroen Divulgação


Com visual elegante e recheado de opcionais, o C4 Lounge é uma boa opção entre os sedãs, ou ao menos era. O sedã médio que concorre com Honda Civic, Toyota Corolla, Chevrolet Cruze e Volkswagen Jetta além do Caoa Chery Arrizo 6 não é mais encontrado nas concessionárias embora esteja no site da montadora em versão única.

No site da montadora apenas a versão Shine aparece, porém ainda como ano 2019

No site da montadora apenas a versão Shine aparece, porém ainda como ano 2019

Citroen Reprodução

Hoje o sedã é comercializado apenas em uma versão, com preço fixado em R$ 103.990. Mas segundo concessionários, o carro não tem sido entregue e há poucas unidades em estoque mas as fontes consultadas recomendaram entrar em contato com a própria PSA para verificar o ocorrido. Em algumas concessionárias há unidades a venda mas todas 2019/20. Hoje o R7 recebeu um comunicado da própria PSA onde a marca afirma que a produção do sedã continua admitindo que a importação de novas unidades está temporariamente suspensa.

Divulgação

Em entrevista para o site argentino Autoblog, Valère Lourme, diretora de marketing da Citroën Argentina, afirmou que o sedã não seria mais exportado para o Brasil. Convenhamos que nem nas épocas áureas dos sedãs médios, o C4 Lounge não foi um dos queridinhos dos brasileiros, apesar de ser um bom carro com desempenho interessante com o motor 1.6 THP de 173cv.

Interior do Citroen C4 Lounge que tem apenas unidades fabricadas em 2019 à venda

Interior do Citroen C4 Lounge que tem apenas unidades fabricadas em 2019 à venda

Citroen Divulgação

Nota da PSA: "Informamos que o C4 Lounge continua sendo produzido normalmente na Argentina. Em relação a sua comercialização no Brasil, a rede segue com a venda de suas unidades em estoque. Em função da oscilação cambial, a importação de novas unidades do modelo está temporariamente suspensa e sua retomada levará em conta, entre outros fatores, a evolução do panorama externo".

*com a colaboração de Guilherme Magna

Últimas