Autos Carros Expedição Nissan: rodamos 1.000km a bordo da pickup Frontier

Expedição Nissan: rodamos 1.000km a bordo da pickup Frontier

No Sul do Brasil, testamos a linha Frontier em estradas mas principalmente fora delas em busca dos "Patrimônios do Brasil" que incluiu a terra das Missões Jesuíticas no RS, SC, Argentina e Parque do Iguaçu

Teste de longa duração da Nissan Frontier nas versões S, Attack e LE 2020

Expedição "Na rota dos Patrimônios do Brasil" rodou 750km pelo Sul do País e Argentina

Expedição "Na rota dos Patrimônios do Brasil" rodou 750km pelo Sul do País e Argentina

Pedro Dantas - Nissan Divulgação

A Nissan Frontier que chega ao mercado brasileiro é fabricada em Cordoba, na Argentina, mantendo as versões da gama e a motorização 2,3 litros turbodiesel (com um ou dois turbocompressores conforme a versão) e preços entre R$ 137,5 mil para a versão S 4X4 e R$ 194,7 mil para a LE com transmissão automática.

Expedição passou pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e norte da Argentina

Expedição passou pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e norte da Argentina

Pedro Dantas - Nissan Divulgação

Na última semana, rodamos por 1.000km com a linha Frontier na Expedição Nissan "Na rota dos patrimônios no Brasil", entre os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e norte da Argentina, na província de Missiones. Em pauta, além da história das missões jesuíticas e a preservação do Parque Nacional Iguaçu e sua biodiversidade, aceleramos as utilitárias em todas as versões.

Nissan Frontier Atack (vermelha), LE (azul) e S (branca) diante das Cataratas do Iguaçu no Paraná

Nissan Frontier Atack (vermelha), LE (azul) e S (branca) diante das Cataratas do Iguaçu no Paraná

Pedro Dantas - Nissan Divulgação

Versão intermediária Attack

Começamos o evento em Passo Fundo, rumo às Ruínas de São João Batista no RS a bordo da Frontier Attack, versão intermediária da picape em um longo trecho de estrada com cerca de 300km. Em destaque, o silêncio a bordo com a adoção de para-brisas acústicos e melhor isolamento da rodagem dos pneus. O banco do motorista também foi redesenhado e ficou mais confortável, o que não se pode se dizer do banco traseiro, ainda duro e sujeito aos solavancos. Na versão Attack, o revestimento é em tecido.

Frontier Attack, versão "custo benefício" da pickup agora fabricada em Córdoba, na Argentina

Frontier Attack, versão "custo benefício" da pickup agora fabricada em Córdoba, na Argentina

Marcos Camargo Jr

Outro destaque é a suspensão traseira com sistema multilink e molas helicoidais (única entre os concorrentes diretos) que trabalha em conjunto com um eixo rígido melhor calibrado. No trecho off-road, uma pista escorregadia fez valer a função da tração 4X4 com reduzida. Em um dos aclives com muita lama, o comboio se distanciou por segurança e a tração atuou mantendo a pickup na pista molhada. O controle de descida também cumpriu sua função uma vez que sem o dispositivo, facilmente o veículo se deslocaria para as margens da pista. O preço da versão Attack é R$ 155,5 mil.

Na terra molhada, aderência mantida a bordo da Frontier Attack com uso da tração 4X4

Na terra molhada, aderência mantida a bordo da Frontier Attack com uso da tração 4X4

Marcos Camargo Jr

A simplicidade da versão S manual

No segundo dia, com quase 450km, foi a vez de provar, na prática, a Frontier S 4X4 equipada com câmbio manual de seis velocidades. A maior parte do trecho foi feita em trecho off-road sob chuva intensa, trechos sem qualquer sinalização e até entre um riacho com lajedo já em Santa Catarina. 

Versão de entrada (em destaque, à frente) tem rodas de aço e pneus comuns mas mantém o 4X4

Versão de entrada (em destaque, à frente) tem rodas de aço e pneus comuns mas mantém o 4X4

Marcos Camargo Jr

A transmissão com seis velocidades mostra que mesmo com motor de 160cv por conta da adoção de apenas um turbocompressor (nas versões mais caras são dois turbo e conjunto de 190cv), a leveza da Frontier S resulta em força para qualquer desafio. Apesar de abrir mão de um acabamento caprichado, despojado de cromados, e sem multimídia, ela mantém itens importantes como o controle de tração e de descida, que fizeram a diferença. O controle da embreagem se faz necessário em trechos enlameados para aplicar um pouco de força, o que é prejudicado pelos pneus lisos de 17 polegadas, que pode desliza facilmente. O Autos Carros também preparou uma matéria em vídeo após o teste da Nissan Frontier S: confira.

LE topo de linha

Frontier LE, a versão mais cara e completa da pickup Nissan em um campo de trigo

Frontier LE, a versão mais cara e completa da pickup Nissan em um campo de trigo

Pedro Dantas - Nissan Divulgação

No último dia foi a vez de andar com a Frontier LE 4X4, versão completa da picape argentina. Com pneus mistos, mas já sob o solo seco, a utilitária foi valente no curto trecho off road e também nas estradas de terra que percorremos dentro do Parque Nacional do Iguaçu, no território do país vizinho. A passagem foi feita sem dificuldades pelas boas "rutas" e também em trechos mais fechados no parque, feita em baixa velocidade e com centenas de borboletas que acompanharam o comboio.

Interior da Nissan Frontier LE tem multimídia, acabamento que imita aço escovado e câmbio AT6

Interior da Nissan Frontier LE tem multimídia, acabamento que imita aço escovado e câmbio AT6

Nissan Divulgação

No modelo mais caro, além da multimídia, o acabamento ganha itens que imitam aço escovado, e por fora há os esperados itens cromados, teto solar e rodas aro 18. 

Frontier em pistas enlameadas onde se fez necessário o uso da tração reduzida

Frontier em pistas enlameadas onde se fez necessário o uso da tração reduzida

Pedro Dantas - Nissan Divulgação

A Nissan Frontier tem 5,26m de comprimento, 1,82m de altura (1,86 m na LE) e 1,85m de largura total, adotando motor 2.3 16V turbodiesel (com um ou dois turbocompressores conforme a versão) que rende 160cv ou 190cv. O câmbio manual de seis marchas equipa a versão S enquanto as demais usam a transmissão automática de seis velocidades. São de série os seis airbags, controles de tração e estabilidade (VDC - Vehicle Dinamic Control); freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA); controles automático de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL), luzes diurnas (DRL) entre outros.

A Nissan Frontier é a concorrente de outros modelos médios como a Ford Ranger, Toyota Hilux, Mitsubishi L200 Triton, Chevrolet S10 e Volkswagen Amarok. O utilitário da Nissan está disponível por aqui em quatro versões: S MT 4x4 (R$137.550), Attack AT 4x4 (R$155.590), XE AT 4x4 (R$ 174.380), LE AT 4x4 (194.790).