Autos Carros Fiat retoma atividade de 900 funcionários em Betim/MG

Fiat retoma atividade de 900 funcionários em Betim/MG

Trabalhadores estavam em regime de layoff desde outubro

Resumindo a Notícia

  • São fabricados por lá o Uno, o Grand Siena, o Doblò, o Mobi, a Strada, o Argo e o Pulse
  • Assim como outras marcas, a empresa teve problemas por causa da crise mundial dos semicondutores
  • Brasil deve deixar de produzir 300 mil carros por causa da crise global de componentes eletrônicos
Fiat Pulse é fabricado em Minas Gerais

Fiat Pulse é fabricado em Minas Gerais

Fiat/Divulgação

O complexo industrial de Betim, em Minas Gerais, da Fiat, aos poucos volta à normalidade, uma vez que 970 trabalhadores dos 1.800 funcionários retornaram do regime de layoff aplicado em outubro deste ano. Assim como outras marcas, a empresa teve problemas por causa da crise mundial dos semicondutores que paralisou diversas linhas de montagem pelo Brasil e pelo mundo. A informação do retorno das atividades foi divulgada pelo site AutoData que entrevistou o CEO da Stellantis Antonio Filosa.

NOVO FIAT PULSE 2022 é um Argo “bombado”? Preço a partir de R$ 79,9 mil vale a pena? Veja o vídeo!

Além disso, a companhia já anunciou uma parceria com a empresa Foxconn para produzir os seus próprios semicondutores. Deste modo, a empresa pretende ser auto sustentável neste quesito. A montadora também planeja fornecer chips para outras marcas. É importante ressaltar que essa crise global por componentes eletrônicos deve fazer com que o Brasil deixe de produzir 300 mil carros, segundo levantamento da Anfavea.

FIAT ARGO 1.3 S Design vale R$ 73,7 mil? Melhor que Onix, HB20, Polo e Sandero equivalentes? Veja o vídeo!

Na linha de produção mineira são fabricados os modelos Uno, Grand Siena, Doblò, Mobi, Strada, Argo, além do novo Pulse, que foi lançado recentemente. Inclusive, o primeiro SUV compacto da montadora também já sofreu o seu primeiro reajuste de preços.

*Com a colaboração Felipe Salomão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas