JAC E-JS1 tira nota zero em teste de segurança

Modelo foi avaliado pelo Latin NCAP

Resumindo a Notícia

  • Ainda foi constatado que a estrutura da cabine é instável
  • Órgão também informou que no impacto lateral também não houve corte de energia
  • Entidade relatou que o modelo elétrico não cortou a energia após uma colisão frontal
Entidade relatou que o modelo elétrico não cortou a energia após uma colisão frontal

Entidade relatou que o modelo elétrico não cortou a energia após uma colisão frontal

Latin NCAP/Reprodução

O JAC E-JS1 tirou nota zero no teste de segurança realizado pelo Latin NCAP. A entidade, que faz avaliações independentes de segurança, relatou que o modelo elétrico não cortou a energia após uma colisão frontal. Veja os detalhes da avaliação.

JAC E-JS1 ELÉTRICO É PROJETO DA VOLKSWAGEN? É um UP? Vale a pena comprar esse elétrico? Veja o vídeo!

O órgão também informou que no impacto lateral também não houve corte de energia, o que pode causar sérios danos aos ocupantes dos veículos em caso de faísca ou mesmo por movimentação do veículo após uma batida. Ainda foi constatado que a estrutura da cabine é instável, segundo o órgão. O veículo tem apenas dois airbags o que também contribui para reduzir a nota de segurança no Latin NCAP.

Órgão também informou que no impacto lateral também não houve corte de energia

Órgão também informou que no impacto lateral também não houve corte de energia

Latin NCAP/Reprodução

O órgão destacou que o modelo conta com boa proteção para cabeça, tórax e abdômen. Contudo, mesmo com esses pontos positivos, a entidade comunicou que o JAC E-JS1 não atende aos requisitos estruturais de impacto traseiro.

Ainda foi constatado que a estrutura da cabine é instável

Ainda foi constatado que a estrutura da cabine é instável

Latin NCAP/Reprodução

Vale destacar que o JAC E-JS1 traz cintos de três pontos, não tem interruptor para desativação do airbag do passageiro, o que prejudica a utilização das cadeirinhas, que podem ser encaixadas por ISOFIX, mas o Latin NCAP destacou que a sinalização não está adequada.

*Com a colaboração Felipe Salomão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas