Mini cresceu 3,3% nas vendas mundiais em 2021

Marca teve alta de 9% no Brasil, além de ter 40,5% de participação no segmento de elétricos

Resumindo a Notícia

  • Companhia vendeu 1.418 unidades em 2021 no Brasil
  • Mini Cooper SE teve 313 unidades compradas no ano passado por aqui
  • Mini Cooper SE Countryman ALL4 teve 262 unidades adquiridas no Brasil
Mini Cooper SE teve 313 unidades compradas no ano passado por aqui

Mini Cooper SE teve 313 unidades compradas no ano passado por aqui

Marcos Camargo Jr.

Segundo dados divulgados pela Mini, a empresa cresceu 3,3% nas vendas mundiais, uma vez que teve 302.144 unidades comercializadas no ano passado. Já no Brasil, a companhia vendeu 1.418 unidades em 2021, o que representa aumento de 9% contra 2020. Além disso, por aqui a marca teve 40,5% de participação no segmento de elétricos.

NOVO MINI COOPER ELÉTRICO chega ao Brasil: 184cv e 230km de autonomia vale R$ 239 mil? Veja o vídeo!

Em relação aos carros eletrificados, a Mini emplacou 53.243 unidades, o que gerou 64,3% de crescimento, além de representar 18% do total de emplacamentos da empresa no ano passado. O modelo mais vendido foi o Mini Cooper SE, que teve um crescimento de 98,2% com 34.851 unidades licenciadas em todo o mundo. Já o Mini Cooper SE Countryman ALL4 teve 18.392 unidades comercializadas, o que gerou alta de 24,% nas vendas.

Mini vendeu mais de 302 mil unidades em todo o mundo

Mini vendeu mais de 302 mil unidades em todo o mundo

Mini/Divulgação

Já no Brasil, o Mini Cooper SE, que foi lançado por aqui no segundo semestre do ano passado, teve 313 unidades compradas e ficou na quarta posição no ranking de vendas dos veículos elétricos mais negociados no mercado brasileiro em 2021. O Mini Cooper SE Countryman ALL4 teve 262 unidades adquiridas no ano passado. Ao somar as vendas dos modelos totalizam 575 unidades comercializadas, o que representa 40,5% de participação do segmento de veículos eletrificados no Brasil.

*Em colaboração Felipe Salomão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas