Tracker com visual esportivo: vale a pena o investimento?

Pacote Sport tem preço sugerido de R$ 3.500 independente da versão

Guilherme Magna

A Chevrolet Tracker chegou ao mercado no meio da pandemia causada pelo Covid-19, mas em pouco tempo já ganhou a garagem de muitos brasileiros e aspira a uma liderança neste disputado segmento. No último mês a GM emplacou 4.075 unidades, atrás apenas de Volkswagen T-Cross (5.463) e Jeep Renegade (4.092).

Guilherme Magna

O carro que chega equipado com motor 1.2 turbo de 133cv e 21,4kgfm, tem diversas possibilidades, entre elas o pacote Sport, que acrescenta rodas de alumínio aro 17” (cinza com a superfície diamantada), estribo lateral integrado, extensor do para-choque dianteiro e traseiro e ponteira de escapamento em aço inox, com bocal duplo. O preço sugerido para essa personalização é de R$ 3.500, o que eleva o preço do modelo na versão topo premier para perto de R$ 125 mil. 

Vale lembrar que o pacote pode ser agregado a qualquer versão do crossover, inclusive nas equipadas com motor 1.0.

Guilherme Magna

O pacote deixa sim o carro mais atraente, porém alguns detalhes deixam a desejar, por exemplo, a soleira com parafusos aparentes na parte debaixo. Apesar do detalhe o suporte se mostra funcional e não meramente decorativo. O bocal duplo do escapamento também se destaca e dá um tom de esportividade, porém nada muda no ruído do motor. As rodas de aro 17” com visual diamantado é o ponto alto do pacote e valoriza o conjunto.

Guilherme Magna

Atualmente seus concorrentes como Jeep Renegade e Volkswagen T-Cross não dispõem de itens que deixam o visual mais esportivo. A Jeep comercializa apenas a versão Night Eagle com preços próximos aos R$ 100 mil, porém não conta com teto solar panorâmico e motorização turbo.

O R7 Autos Carros, fez uma série de reportagens com a nova Tracker, rodamos mais de 5 mil quilômetros, onde avaliamos o consumo, espaço interno, motorização, multimídia e muito mais.

Saiba mais sobre o novo SUV da GM em nosso vídeo no canal Autos TV no Youtube: