Volkswagen, Mercedes e Ford suspendem produção por coronavírus

Montadoras anunciam medida para evitar novos casos no país: Anfavea discutirá paralisação geral das fábricas com sindicatos

Volkswagen Divulgação

O aumento dos casos de coronavírus (COVID-19) começa a prejudicar a produção de veículos em todo o país. Nesta noite, a Volkswagen emitiu um comunicado onde anunciou a paralisação das cinco unidades no país, assim como a General Motors, Mercedes e Ford. 

No início da noite, a Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, emitiu uma nota onde afirma que as montadoras estão avaliando a suspensão temporária das atividades: "Informamos que, em função do agravamento da crise gerada pelo COVID-19, todas as nossas empresas estão analisando e se preparando para tomar ações de paralisação das suas fábricas no Brasil, e discutindo caso a caso com seus respectivos sindicatos".

Volkswagen Divulgação

A Volkswagen admitiu que a paralisação é devido ao avanço da doença. "A medida visa preservar a saúde de seus empregados e familiares em decorrência do avanço da COVID-19", disse em nota. A suspensão de atividades começa no próximo dia 23 e durará três semanas.

Linha de produção do Ka em Camaçari/BA: produção suspensa a partir do dia 23

Linha de produção do Ka em Camaçari/BA: produção suspensa a partir do dia 23

Ford Divulgação

A Mercedes-Benz também anunciou uma escala de folgas debitadas do sistema de banco de horas a partir do dia 25 de março e a partir do dia 30 terá férias coletivas até 22 de abril.

A Ford que tem produção em Taubaté/SP, Camaçari/BA e Horizonte/CE (fábrica da Troller) vai interromper os trabalhos no próximo dia 23 de março, sem previsão de retorno. Em um comunicado de imprensa, a montadora disse que haverá uma "redução na demanda de consumidores gerada por esta situação sem precedentes".

GM também confirmou férias coletivas para ajustes na linha de produção

GM também confirmou férias coletivas para ajustes na linha de produção

GM Divulgação

A GM que tem quatro unidades de fabricação no país (São Caetano do Sul/SP, São José dos Campos/SP, Joinville/SC e Gravataí/RS) anunciou férias coletivas a partir de 30 de março para "ajuste na produção". A marca lançou nesta semana o compacto Tracker e, segundo o sindicato local, há funcionários fazendo hora-extra para produzir o SUV. Porém, a empresa que é líder em vendas, condiciou o investimento de R$ 10 bilhões a demanda do mercado brasileiro.