​Bolsonaro cobra equipe sobre Auxílio Brasil

Presidente convocou ministros para reunião e cobrou andamento do Auxílio Brasil, programa que pode substituir o Bolsa Família

  • Blog do Nolasco | Thiago Nolasco, da Record TV

O presidente Jair Bolsonaro cobrou a equipe de ministros

O presidente Jair Bolsonaro cobrou a equipe de ministros

Evaristo Sá/AFP

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocou os ministros Paulo Guedes (Economia), Ciro Nogueira (Casa Civil), João Roma (Cidadania) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo), para uma reunião na tarde da última quinta-feira (16).

O encontro ocorreu no gabinete presidencial, no Palácio do Planalto, e foi uma espécie de cobrança em torno do Auxílio Brasil. O governo pretende ampliar o Bolsa Família, que passaria a se chamar Auxilio Brasil, e aumentar o benefício. Passaria dos atuais R$ 190, em média, para algo em torno de R$ 300. Mas, para isso, o Executivo precisa de recursos. A reunião com os ministros serviu para o presidente receber novas informações sobre as negociações do parcelamento de precatórios.

Bolsonaro ouviu dos ministros que a solução via Judiciário, uma espécie de acordo para o Conselho Nacional de Justiça baixar uma resolução sobre o parcelamento das dívidas judiciais, está praticamente descartada. Mas foi informado que os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), têm boa vontade e trabalham em conjunto com o Palácio do Planalto para aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que reduz o pagamento das dívidas judiciais. Assim, o Executivo conseguiria recursos para o programa social.

A intenção do governo federal é começar a pagar o Auxílio Brasil em novembro, após o fim do auxílio emergencial.

Últimas