STF

Blog do Nolasco ​Bolsonaro se preocupa com novas indicações para o STF

​Bolsonaro se preocupa com novas indicações para o STF

Duas vagas para a Corte serão abertas no primeiro semestre de 2023; seleção caberá a quem vencer as eleições ano que vem

Bolsonaro e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no café da manhã com parlamentares

Bolsonaro e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no café da manhã com parlamentares

Isac Nóbrega/PR - 6.10.2021

Durante reunião nesta quarta-feira (6), no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou da relevância das indicações para o STF (Supremo Tribunal Federal) para os integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária.

Bolsonaro tratou do assunto lembrando o julgamento do Marco Temporal, ação que é analisada pelo Supremo e vai definir se os índios e povos originais têm direito a terras ocupadas após a Constituição de 1988. O setor agrícola é contra um novo marco temporal e o presidente também tem se posicionado contrário à proposta. Eles alegam que o resultado do julgamento do STF pode abrir espaço para novas demarcações de terras no país.

No café da manhã, Bolsonaro disse que "o Kassio Nunes [Marques, ministro do STF] empatou com o [Edson] Fachin em 1 a 1, o marco temporal. O André Mendonça [indicado de Bolsonaro ao STF], uma vez aprovado no Senado, vai na mesma linha. Nós, muitas vezes não lembramos dos detalhes, né? São 10, 20, 50, 100 anos na frente. Quem se eleger presidente no ano que vem, no primeiro semestre de 23, indica mais dois para o Supremo. Se for alinhado conosco, de 10, ficam quatro garantidos lá dentro. Além de outros que já votam... Não é que votam com a gente, votam com as pautas que têm que ser votadas do nosso lado", disse o presidente.

"Ninguém está pedindo voto. Ainda não sou candidato. Mas uma pessoa alinhada a nós tem que estar sentada naquela cadeira [Presidência da República] a partir de 23, que vai ser obviamente a pessoa que vai indicar mais dois para o Supremo. No mais, quero agradecer a vocês o carinho e a consideração, o apoio em praticamente todas as pautas nossas dentro do Parlamento. O Brasil indo bem, todos nós vamos bem", concluiu Jair Bolsonaro.

A declaração demonstra a preocupação do presidente com as pautas dentro do Supremo Tribunal Federal, mas acaba sendo uma saia justa para André Mendonça, que ainda não teve o nome analisado pelo Senado Federal para a vaga ao Supremo. Se for aceito, Mendonça ainda terá que se posicionar sobre o julgamento do Marco Temporal.

Últimas