Não será cobrada vacina das delegações na ONU

Presidente Jair Bolsonaro discursa na terça-feira na Assembleia Geral da ONU e ainda não foi imunizado contra a covid-19 

Bolsonaro fará discurso de abertura na ONU

Bolsonaro fará discurso de abertura na ONU

Evaristo Sá/AFP - 14.09.2021

A ONU (Organização das Nações Unidas) não vai cobrar vacina para as delegações e chefes de estado que vão participar da Assembleia Geral, marcada para a próxima terça-feira, dia 21.

O Presidente Jair Bolsonaro vai fazer o discurso de abertura e, como não foi imunizado e tem dito que será "o último brasileiro a se vacinar", houve preocupação com uma possível saia justa. Fontes que já estão em Nova York garantiram ao Blog que não será cobrada vacina.

Jair Bolsonaro, no discurso, pretende falar de temas como o marco temporal que é analisado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e pode aumentar para cerca de 24% as áreas indígenas demarcadas no país. Segundo o Governo, essa decisão pode impactar na produção de alimentos no país. O STF julga se os povos tradicionais têm direito a áreas ocupadas após a Constituição de 1988. O Presidente também vai falar sobre as ações do Governo no combate à pandemia.

O Governo Americano também não exige a vacinação para a entrada no país, apenas testes que comprovem não estar infectado pelo coronavírus. Mas a prefeitura de Nova York exige a imunização para quem frequenta bares e restaurantes.

Bolsonaro viaja no domingo para a Assembleia Geral da ONU e retorna ao país na terça-feira.

Últimas