Christina Lemos Bolsonaro chora durante discurso da primeira dama, Michelle

Bolsonaro chora durante discurso da primeira dama, Michelle

Michelle Bolsonaro fez pronunciamento de teor religioso, em estreia oficial na pré-campanha. 

A cena que mobilizou ministros e auxiliares próximos ao presidente Bolsonaro na tarde deste domingo foi flagrada em close pelo celular do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, que filmou o momento. O presidente Bolsonaro chorou durante o pronunciamento da primeira dama, que estreia oficialmente na pré-campanha eleitoral, em evento de lançamento da chapa, com o general Braga Neto como vice. O evento ocorreu no estádio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, berço eleitoral de Bolsonaro. 

Ao contrário do filho, senador Flávio Bolsonaro, que também se emocionou, o presidente não enxuga as lágrimas e permanece de cabeça erguida. Michelle Bolsonaro, trajando um vestido verde, mencionava a oração que fez durante o episódio da facada sofrida pelo presidente na campanha eleitoral passada: “eu olhei para o teto do hospital e falei: o senhor tem o controle de todas as coisas”.

Há registros de outras circunstâncias públicas em que Bolsonaro se emociona e o próprio presidente chegou a declarar, publicamente, que “às vezes, chora no banheiro”, sem que a mulher perceba. A cena é incomum, no entanto, por se tratar de uma solenidade oficial e pelo fato de o presidente não disfarçar sua emoção.

O ministro Ciro Nogueira deu uma interpretação pessoal ao choro do presidente. Sem mencionar diretamente a situação, declarou que “quem convive com o presidente conhece o seu grande coração”. A reação dos internautas à postagem foi imediata, com manifestações de apoio, críticas e ironia. “Esse colírio é bom”, escreveu um deles.

A participação de Michelle Bolsonaro nas atividades de campanha é vista como um recurso para aproximar o presidente do eleitorado feminino, principal nicho de rejeição, de acordo com as pesquisas. Levantamento recente mostra que chegam a 60% as entrevistadas que afirmam que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum.

Pouco mais de um mês antes do primeiro turno, em 2 de outubro, um dos principais eventos políticos será a festividade do 7 de setembro. Para o Dia da Pátria, o presidente fez uma convocação a seus apoiadores: “Vamos às ruas pela última vez”. E referindo-se ao STF, declarou: “esses poucos surdos de capa preta têm de entender o que é a voz do povo”.

A declaração mobilizou a militância digital pró-Bolsonaro, que multiplicou a frase do presidente nas redes sociais. O episódio remete às manifestações do  7 de setembro do ano passado, que culminaram com a mais grave crise política entre a Suprema Corte e chefe do Executivo. Na ocasião, por meio de uma carta pública e de interlocutores políticos, entre eles o ex-presidente Michel Temer, a situação foi amenizada.

Oficialmente, a campanha eleitoral terá início em agosto. O processo vive etapa importante, com o lançamento das candidaturas. No entanto, o prazo para registro de chapas junto ao TSE se encerra no dia 15 próximo e mudanças de última hora não são raras.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas