Deputados petistas pedem ao STF saída de general Heleno do cargo

Margarida Salomão (PT-MG), Rogério Correia (PT-MG) e Célio Moura (PT-TO) querem ainda que ministro do GSI fique 8 anos sem ocupar cargo público

Heleno é alvo de pedido de impeachment

Heleno é alvo de pedido de impeachment

Adriano Machado/Reuters

Três deputados do PT entraram, nesta segunda-feira (25), com um pedido de impeachment do general Augusto Heleno, ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), por crime de responsabilidade.

O grupo também quer que Heleno permaneça proibido de ocupar cargos públicos por 8 anos.

A solicitação foi feita pelos deputados Margarida Salomão (PT-MG), Rogério Correia (PT-MG) e Célio Moura (PT-TO).

Os parlamentares se baseiam na no art. 14 da Lei n.º 1.079/50, que "assegura ser permitido a qualquer cidadão o oferecimento de denúncia, por crime de responsabilidade, em desfavor do Presidente da República ou Ministro de Estado".

O trio cita a nota divulgada pelo GSI depois do pedido do ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), à Procuradoria-Geral da República para avaliar um pedido de entrega do celular do presidente Jair Bolsonaro. Para os petistas, houve "evidente tom de ameaça injustificável e inconstitucional".

Os parlamentares afirmam ainda que o comunicado dos "militares formados na turma de 1971 da Academia Militar das Agulhas Negras", em solidariedade a Heleno, colaborou para "um conjunto de ameaças gravíssimas ao livre exercício do Poder Judiciário, tentando constranger os Excelentíssimos Ministros do STF".

Ainda não foi designado um ministro do Supremo para analisar o documento protocolado pelos deputados petistas.